“Fui paternal e funcionou”, diz Woody Allen sobre casamento com filha adotiva

(AFP)
(AFP)
(AFP)

“Tive sorte, temos 35 anos de diferença e a dinâmica funcionou”. Em uma das poucas entrevistas concedidas, o director norte-americano Woody Allen comentou seu polémico casamento, explicando que tem uma relação “paternal” com Soon-Yi.

“Quando comecei esta relação, pensei que seria apenas um namorico, que não era nada sério”, declarou o cineasta à rádio norte-americana National Public Radio (NPR).

“Depois, começamos a sair juntos, começamos a viver juntos e isso nos agradou. A diferença de idade parecia não ter importância. De fato, pareceu jogar em nosso favor”, explicou o director, que fará 80 anos em Dezembro.

“Tive sorte”, disse Woody Allen, que tem duas filhas adoptivas com Soon-Yi. “Estou casado há 20 anos, (…) tenho 35 mais do que ela e, por razões alheias a nossa vontade, a dinâmica funcionou. Eu era paternal. e ela respondia a alguém paternal. Eu gostava de sua juventude e sua energia. Ela confiava em mim e eu era feliz por deixá-la tomar muitas decisões e se encarregar de tantas coisas. Ela se realizou”, afirmou.

Mia Farrow, que trabalhou em 13 de seus filmes, se separou de Woody Allen em 1992 após descobrir entre as coisas do marido fotos de Soon-Yi, filha adoptiva de Mia e seu ex-marido, nua.

Woody Allen e Soon-Yi, que é sua terceira esposa, se casaram em 1997.

Na entrevista, Allen falou também sobre sua vida e se descreveu como “preguiçoso e pouco perfeccionista”. “Fazer filmes não é o objectivo final de minha existência. Não tenho a inteligência, a profundidade ou o dom natural. Não há grandeza em mim”, declarou o prolífico cineasta, que estreia uma média de um filme por ano desde 1965.

Questionado sobre as acusações de abuso sexual a sua filha adoptiva Dylan Farrow, que ele sempre negou, afirmou que essas acusações não tiveram impacto nas pessoas que assistem seus filmes.

“Sempre tenho um pequeno público. As pessoas nunca vieram em massa, e a mesma coisa vai acontecer agora. Tenho o mesmo público ao longo do tempo”, avaliou, concluindo que sua vida privada não influencia em sua obra. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA