França quer participar na diversificação da economia de Angola – François Hollande

O Presidente François Hollande afirmou hoje que a França pretende, conjuntamente com Angola, participar na diversificação da economia angolana, “valorizando a relação excepcional” estabelecida, ao longo dos anos, no sector petrolífero entre os dois países.

PRESIDENTE FRANÇOIS HOLLANDE - FRANÇA QUER COLABORAR NA DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA DE ANGOLA (Foto: Pedro Parente)
PRESIDENTE FRANÇOIS HOLLANDE – FRANÇA QUER COLABORAR NA DIVERSIFICAÇÃO DA ECONOMIA DE ANGOLA (Foto: Pedro Parente)

O estadista gaulês falava em Luanda, na abertura do Fórum económico Angola-França, enquadrado na sua visita de dois dias, que tem como principal motivo o reforço da parceria de ambos os países.

Hollande referiu que a renovação desta parceria franco-angolana foi incentivada com a visita do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos à França, em Abril de 2014, que permitiu adoptar um programa de trabalho e esclarecer as áreas e domínios a abarcar na relação económica bilateral.

“No ano passado as trocas entre Franca e Angola progrediram em 70 porcento nos dois sentidos, tanto no que diz respeito às importações, como nas exportaçãoes. Não sei se no próximo ano conseguiremos atingir o mesmo nível. Prefiro ser modesto porque 70% é muito elevado”, declarou o presidente gaulês.

François Hollande sublinhou que no respeitante ao total de investimentos a França é o terceiro pais no mundo (mais) presente em Angola, realçando como símbolo do novo impulso o acordo de facilitação de vistos decididos no ano passado por sí e pelo seu homólogo José Eduardo dos Santos, em Paris, que “neste momento está pronto para ser aplicado”.

Afirmou que a simplificação de vistos aplica-se aos dois países, e que tudo deverá ser feito para facilitar a circulação de empresários, quadros e investidores entre ambos os estados.

“Precisamos de ir mais longe e tudo fazer para que as formalidades administrativas possam ser facilitadas entre os nossos dois países”, frisou, acrescentando que do ponto de vista fiscal o  ministro françês das Finanças, Michel Sapin, ocupar-se-á da facilitação dos trâmites. (portalangop.co.ao)

DEIXE UMA RESPOSTA