Filda2015 encerra com volume de negócios estimado em USD 11 milhões

Empresas galardoadas com Leão de Ouro, na Filda 2015. (Foto: Alberto Julião)
Empresas galardoadas com Leão de Ouro, na Filda 2015. (Foto: Alberto Julião)
Empresas galardoadas com Leão de Ouro, na Filda 2015.
(Foto: Alberto Julião)

Um volume de negócios estimado em 11 milhões de dólares-norte americanos apresenta-se como resultado de cinco dias de contactos comerciais entre decisores, fornecedores, gestores e financiado­res realizados no decurso da 32ª edição da Feira Internacional de Luanda, que hoje (domingo) encerrou os seus trabalhos.

Segundo o gestor da FIL, Francisco Coutinho, que falava sobre o evento, numa comparação com a edição anterior a de 2015, sublinhou, entre outras novidades, o facto de a Alemanha ser o país convidado e ter registado a participação da Itália.

Como nos três últimos anos, mais uma vez, o evento constituiu-se num instrumento de promoção e captação de investimentos para o país e de divulgação para o exterior do ambiente macroeconómico que regista.

A feira, que decorreu de 21 a 26 do mês em curso, encerrou com um indicador de satisfação dos expositores na casa dos 96 por cento, segundo dados da organização.

A par dos habituais contactos de negócios, estabelecimento de parcerias e troca de impressões entre expositores e visitantes, a 32ª edição da Filda destacou-se pela alta taxa de ocupação de espaços, o que levou a que fosse colocada uma tenda de aproximadamente 400 metros quadrados para complementar os actuais seis pavilhões.

Nos cinco dias de trabalho, o evento foi guiado pelo lema “Dinamismo, criatividade, competência, na produção nacional: um pressuposto, para diversificação e industrialização da economia angolana e um desafio para juventude empreendedora”.

Ainda na senda do dinamismo e da criatividade, o terceiro dia da Filda teve o seu toque especial por causa da celebração do dia do sector petrolífero, o que ainda mais tem contribuído para o crescimento económico do país, apesar da baixa do preço do crude no mercado internacional.

A par do dia dos petróleos, a exposição celebrou também os dias de Portugal, Brasil, Alemanha, Namibia e das empresas ligadas as telecomunicações.

Quanto ao ambiente vivido nos diferentes dias do evento, contrariamente ao primeiro e segundo dias em que o movimento era quase monótono, de quinta-feira a domingo a Feira Internacional de Luanda registou uma afluência acima das expectativas da organização e dos expositores, não obstante os três mil kwanzas estipulado para o acesso do público.

Nos últimos quatro dias da feira, foi frequente ver, antes da abertura dos portões, um aglomerado de pessoas na parte exterior do recinto da Filda, ansiosas para entrar e apreciar os produtos e serviços expostos no certame dos mais variados ramos de actividade.

Na já tradicional Gala de Premiação que se realiza para distinguir as empresas e expositores que mais inovam durante a amostra, destaque para a conquista de três estatuetas “Leões de Ouro”, entre os quais, o prémio Filda 2015.

Outro destaque da gala de premiação foi a Agência Angola Press (Angop) galardoada pela melhor cobertura jornalística na modalidade de “Imprensa Escrita”. Outros galardoados foram Portugal e Alemanha. (portalangop.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA