FILDA: Maior feira de negócios abre a 21 de Julho

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

A Feira Internacional de Luanda (FIL) regista este ano uma ligeira redução de empresas, por dificuldades no pagamento antecipado, por causa da escassez do dólar. Ainda assim, devem estar presentes cerca de mil empresas, nacionais e estrangeiras.

A China, que em 2013 teve o maior espaço na Feira Internacional de Luanda (FILDA), este ano vai apresentar-se mais reduzida em número de empresas e em espaço, porque muitos possíveis expositores não conseguiram pagar atempadamente as encomendas. O exemplo da China referido pelo gestor da feiras, Francisco Coutinho, como sendo o caso de muitos expositores.

A FILDA é uma feira de negócios que junta anualmente, desde 1983, empresários nacionais e estrangeiros que expõem produtos e serviços, assim como permitem estabelecer contactos para negócios.
Para esta edição, que arranca a 21 de Julho no espaço da FILDA, em Luanda, esperam-se quase mil expositores nacionais e estrangeiros. Mesmo com os exemplos como o da China, a organização pretende manter os números do ano passado. Até ao final da semana passada, estavam confirmadas 870 empresas.

Portugal, que ocupa um espaço de três mil metros quadrados, vai ser o país com mais espaço, pelo segundo ano consecutivo.
O Espaço da China ficou reduzido, de 500 metros quadrados na edição passada, para os 230 metros este ano.

A Itália, entretanto, aumentou o seu espaço.
Das participações nacionais, a Unitel, Zap, Movicel, Globo Media e Total fazem parte das dez empresas com espaços maiores.
Tudo está pronto para o arranque, garante o gestor de Feiras, Francisco Coutinho, pois, diz “mal termina uma começa a preparação da seguinte”.

A edição 32.ª tem um “carácter multissectorial e uma abrangência internacional”, e conta com investidores dos quatros pontos do mundo, sendo o Equador e a Colômbia as grandes novidades.
Quem visitar a FILDA, e não tiver ainda cartão de contribuinte, poderá tratá-lo na hora e a custo zero, numa iniciativa da Administração Geral Tributária.
Na edição passada, as instalações da FILDA atingiram a sua capacidade máxima em termos de exposição. Este ano, muitas empresas viram os seus espaços reduzidos para permitir a entrada de outras. Para o público em geral, o bilhete de acesso vai custar três mil kwanzas. (novagazeta.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA