FIFA: Chung Mong-joon na corrida ao lugar de Blatter e “atacar” Michel Platini

(DR)
(DR)
(DR)

Chung Mong-joon é o mais recente candidato à presidência da FIFA, cujas eleições para a sucessão de Sepp Blatter estão marcadas para 26 de fevereiro. O sul-coreano junta-se ao brasileiro Zico, ao liberiano Musa Bility e ao francês Michel Platini na lista dos candidatos assumidos
à cadeira do poder do futebol mundial.

Durante o anúncio de candidatura, o antigo vice-presidente do organismo e atual acionista maioritário da Hyundai deixou duras críticas a Blatter, a quem apelidou de “canibal corrupto”, mas também ao atual presidente da UEFA.

“(Michel Platini) é uma boa pessoa. Gosto muito dele, mas se me perguntarem se esta é uma boa altura para ele se tornar presidente da FIFA, logo a seguir ao presidente Blatter, para mim, isto não são boas notícias para a FIFA. Nem penso que seja bom também para o Michel”, defendeu Chun Mong-joon.

O sul-coreano disse esperar “conseguir realizar” o programa a que se propõe nos próximos quatro anos e “fazer da FIFA uma verdadeira ONG (Organização Não Governamental) desportiva, aberta, transparente, moral e ética.”

Platini continua, ainda assim, como o mais mediático e o favorito à sucessão de Blatter. Mas o antigo jogador francês pode vir a ter outro concorrente de peso, pelo menos no que toca a mediatismo: Diego Maradona.

“El Pibe” reafirmou esta semana, num vídeo publicado pelo próprio nas redes sociais, o desejo de apresentar uma lista nas eleições para a presidência da FIFA e, numa entrevista ao canal de televisão AmericaTV, terá sido um pouco mais concreto: “Há jogadores que me apoiam. Tenho de lutar contra as pessoas que andam há muito tempo a roubar a FIFA. Roubam de luva branca. Vou avançar para a FIFA, de verdade. Tenho de lutar contra a mafia”, afirmou Maradona. (euronews.com)

por Francisco Marques | Com LUSA, DIARIO AS

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA