Exportações angolanas para EUA ultrapassam USD 115 biliões

ROSA PACAVIRA - MINISTRA DO COMÉRCIO (Foto: Rosário Dos Santos)

As exportações angolanas para os Estados Unidos de América triplicaram, no período 2004/2014, ao atingir USD 115,39 biliões no ano transacto, anunciou hoje, em Luanda, a ministra do Comércio, Rosa Pacavira.

ROSA PACAVIRA - MINISTRA DO COMÉRCIO (Foto: Rosário Dos Santos)
ROSA PACAVIRA – MINISTRA DO COMÉRCIO (Foto: Rosário Dos Santos)

Segundo a governante, esse aumento em valor e quantidade das exportações é resultado, em parte, da adesão do país em 2003 à Lei para o Crescimento e Oportunidade de África (AGOA), criada pelo Governo norte-americano.

De acordo com a ministra, que falava na abertura do seminário sobre “Como exportar para EUA e a estratégia para a dinamização da lei do crescimento e oportunidades para África (AGOA)”, dados estatísticos do Departamento do Comércio americanos apontam que no período de 1985 a 2003, Angola exportou para aquele país da América mercadorias no valor de 42, 9 biliões de dólares.

Disse que antes de Angola ser um país elegível no âmbito da AGOA, os EUA já eram um dos maiores parceiros comerciais, chegando a absorver grande parte das exportações angolanas, com predominância para o petróleo.

Salientou que estas exportações eram ao abrigo do sistema generalizado de preferências, destinado a promover o crescimento nos países em desenvolvimento, através da isenção de direitos alfandegários numa pauta de cerca 4 mil e 800 produtos.

Sublinhou que apesar do elevado nível de relações comerciais em áreas muito concretas, destacando-se o petróleo e seus derivados, Angola está ainda num processo de adequação em relação ao AGOA e a sua inclusão na estratégia nacional de diversificação da economia será uma mais-valia, pois a lei perspectiva o reforço da capacidade técnica e financeira das pequenas e médias empresas (PME).

Na sua óptica, o desafio que África enfrenta, em particular Angola, é o fortalecimento da sua parceria futura no comércio e investimentos, através da melhoria da implementação do AGOA, tendo já em perspectiva a nova Lei AGOA- 2015, no aproveitamento do financiamento das instituições financeiras americanas, na assistência técnica às empresas nacionais e na capacitação de quadros.

A nova Lei AGOA 2015 foi promulgada pelo Presidente Barak Obama, no dia 29 de Junho do ano em curso.

Rosa Pacavira salientou que, no âmbito da cooperação bilateral entre Angola e EUA, foi assinado em 2009 o Acordo Quadro sobre Comércio e Investimentos (TIFA), que faz referência a criação de um conselho de diálogo onde as partes abordam questões de interesse comum, nomeadamente a remoção das barreiras tarifárias e não tarifárias, bem como a criação de um ambiente de negócios favorável entre os dois países.

A ministra disse que dos 40 países africanos abrangidos por esta lei, Angola é o segundo país que mais tem exportado para os estados Unidos, depois da Nigéria, especialmente petróleo.

A lei de Crescimento e Investimento (AGOA) pretende promover o desenvolvimento económico e contribuir para a integração das actividades economias africanas no sistema do comércio mundial e oferece uma estrutura para os governos, sector privado e sociedade civil trabalharem juntos no aumento da capacidade comercial e dos vínculos comerciais entre os EUA e África. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA