Ex-detido de Guantánamo condenado a pagar indemnização de 134,2 milhões dólares

Khadr foi repatriado para o Canadá em setembro de 2012, depois de passar 10 anos no campo de detenção de Guantánamo (Foto: Family Handout via Canadian Press
Khadr foi repatriado para o Canadá em setembro de 2012, depois de passar 10 anos no campo de detenção de Guantánamo (Foto:  Family Handout via Canadian Press
Khadr foi repatriado para o Canadá em setembro de 2012, depois de passar 10 anos no campo de detenção de Guantánamo (Foto: Family Handout via Canadian Press)

Khadr foi repatriado para o Canadá em setembro de 2012, depois de passar 10 anos no campo de detenção de Guantánamo.

Um tribunal dos Estados Unidos condenou um ex-detido de Guantánamo a pagar uma indemnização de 134,2 milhões de dólares por um ataque no Afeganistão que matou um soldado norte-americano e feriu outro, informou hoje a advogada das vítimas.

Laura Tanner, a advogada, mostrou-se satisfeita com a decisão, embora tenha dito que os seus clientes não têm a ilusão de que o ex-detido, Omar Khadr, natural do Canadá, possa alguma vez pagar a indemnização, que ao câmbio de hoje corresponde a 121 milhões de euros.

“O próximo passo é trabalhar com as autoridades judiciais do Canadá (…) e investigar todas as possibilidades que temos para receber o que pudermos”, acrescentou a advogada sobre a decisão tomada em junho por um tribunal de Salt Lake City (Utah).

Capturado quando era ainda adolescente no Afeganistão, em 2002, foi condenado em 2010 a oito anos de prisão por se ter dado como culpado por um ataque à granada que matou um soldado norte-americano e feriu outro.

Em maio passado foi libertado sob caução, depois de um tribunal de recurso canadiano ter rejeitado um processo do Ministério Público canadiano para que Khadr permanecesse na prisão. (dn.pt)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA