Eni vai investir 4,5 mil milhões de dólares em Angola

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

O investimento da petrolífera italiana vai ser para os próximos dois anos e foi anunciado durante a visita oficial do presidente angolano a Roma.

A ENI vai investir 4,5 mil milhões de dólares (cerca de quatro mil milhões de euros) em Angola nos próximos dois anos. O objectivo da accionista da Galp é alcançar a produção de 200 mil barris diários nos próximos quatro anos.O investimento foi anunciado terça-feira, 7 de Julho, pelo presidente executivo da companhia depois de um encontro com o presidente angolano, que se encontra em visita oficial a Itália.

“Vamos investir 4,5 mil milhões de dólares para desenvolver o bloco 15-06 nos próximos dois anos”, disse Claudio Descalzi citado pela agência italiana AGI. “Vamos alcançar os 100 mil barris diários no final de 2015 e os 200 mil nos próximos três anos e meio a quatro anos”.

A Eni detém 8% do capital da Galp. Apesar de a petrolífera nacional estar presente em cinco projectos em Angola, não tem nenhuma parceria com a italiana na exploração e produção de petróleo neste país.

O anúncio foi feito após o encontro do líder da Eni com o presidente angolano José Eduardo do Santos, tendo sido feito também um balanço da reunião. “Estivemos a debater investimentos importantes que a Eni está a fazer no país”, revelou Claudio Descalzi. “Também falámos sobre o gás que encontrámos em Angola. Fizemos uma proposta para explorá-lo, não com o objectivo de o exportar, mas para a indústria angolana”.

Em cima da mesa também estiveram outros assuntos, particularmente na área da energia, tendo sido debatido o desenvolvimento de energias renováveis, especialmente a produção de energia solar em áreas mais remotas deste país lusófono. Também foi abordada a possibilidade de construir linhas de distribuição para transportar electricidade em Angola, tanto na zona costeira como no interior.

A visita de José Eduardo dos Santos a Itália acontece um ano depois de Matteo Renzi ter visitado Angola, com o objectivo de reforçar os laços económicos entre os dois países. O presidente angolano esteve reunido com o seu homólogo italiano na segunda-feira.

A Eni fechou a sessão desta terça-feira, 7 de Julho, a recuar 3,69% para 14,62 euros na bolsa de Milão. (jornaldenegocios.pt)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA