Encontro com CEAST satisfaz parlamentares

Deputados da Sexta Comissão visitam Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (Foto: Lino Guimaraes)
Deputados da Sexta Comissão visitam Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (Foto: Lino Guimaraes)
Deputados da Sexta Comissão visitam Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (Foto: Lino Guimarães)

O presidente da sexta Comissão da Assembleia Nacional, Castro Maria, disse hoje, em Luanda, que o encontro com a Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) foi satisfatória, pois colocaram as suas preocupações com realce a reconstrução das suas missões para o bem da igreja e da sociedade.

Castro Maria falava à imprensa no final do encontro, que decorreu a porta fechada na sede da CEAST, no âmbito das visitas de auscultação à instituições religiosas e na busca de contribuições sobre o ante-projecto da nova Lei sobre a Liberdade de Culto e Religião.

Segundo o parlamentar, a preocupação foi tida em conta, acrescentando que em tempo oportuno estes imóveis merecerão a devida reparação, pois estas infraestruturas ajudam não só a igreja, mas a sociedade de uma forma geral.

Acrescentou que abordaram também sobre a extensão do sinal da Rádio Eclésia nas demais províncias, situação que foi acolhida pelos deputados, bem como o caso de crianças acusadas de feitiçaria.

Por seu lado, o presidente da CEAST, Dom Gabriel Mbilingue, disse que foi proveitoso o encontro e aproveitaram para pedir que se inclua na futura Lei de Liberdade de Culto a assistência espiritual dos presos, doentes e militares nos seus locais.

“Hoje muitas igrejas até realizam cultos em prisões, mas muitas pessoas ainda ficam sem a devida assistência tal como os militares e doentes”, ressaltou.

Indagado sobre o fenómeno religioso, Dom Gabriel Mbilingue disse que há que se aprimorar os critérios de legalização de igrejas pelo Governo para se evitar a proliferação.

“Cuidemos mais da formação religiosa dos fiéis com informação segura e de modo correcto, pois cada um é livre de escolher o que professar”, referiu.

Acrescentou que é necessário que as pessoas sejam formadas e informadas de forma adequada, pedindo o auxílio da Comunicação Social, de forma a evitar que as pessoas sejam enganadas por publicidade barata de igrejas que se transformam em empresas de captação de dinheiro.

A Sexta Comissão da Assembleia Nacional trata de questões sobre a Educação, Cultura, Assuntos Religiosos e Comunicação Social. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA