Embaixador angolano destaca importância da visita do PR

O embaixador de Angola em Itália, Florêncio de Almeida (Foto: Francisco Miúdo)
O embaixador de Angola em Itália, Florêncio de Almeida (Foto: Francisco Miúdo)
O embaixador de Angola em Itália, Florêncio de Almeida
(Foto: Francisco Miúdo)

O embaixador angolano na República Itália, Florêncio de Almeida, destacou hoje, domingo, em Roma, a importância da visita oficial de dois dias que Chefe de Estado, José Eduardo dos Santos efectuará a este país, no âmbito do reforço da cooperação bilateral existente.

De acordo com o diplomata que falava a imprensa angolana em Roma, numa alusão a visita do Chefe de Estado angolano, a mesma assenta em três objectivos, nomeadamente a abordagem clara sobre as formas mais conducentes sobre as relações político-diplomáticas entre ambos países, a necessidade de se fazer uma abordagem a nível bilateral sobre o relançamento e a diversificação das relações no domínio económico, técnico, científico e cultural.

O terceiro objectivo, segundo fez saber o embaixador Florêncio de Almeida, prende-se com uma discussão clarificada com a classe empresarial italiana sobre a forma da sua intervenção no mercado angolano, pois neste capítulo o governo angolano pretende alterar a filosofia de intervenção do empresariado italiano em Angola.

“Não queremos continuar a receber apenas produtos acabados, mas garantir a sua produção local e para isso nós estamos a tentar sugerir as autoridades italianas no sentido de algumas empresas deste país levarem a sua tecnologia para produzirem localmente (em Angola) os seus produtos como forma de valorizar os nossos concursos e garantirem emprego a nossa população “, explicou o diplomata, numa alusão à alteração da filosofia do governo angolano na intervenção do empresariado italiano no mercado nacional.

Relações Políticas e de Cooperação Angola/Itália – Antecedentes

A Itália foi o primeiro país da Europa Ocidental a reconhecer a independência de Angola, no dia 18 de Fevereiro de 1976, e a 4 de Junho, do mesmo ano, estabeleceram-se as relações diplomáticas entre os dois países.

As relações de cooperação existentes entre ambos países, tiveram o seu início em Agosto de 1977, com a assinatura de um Memorando que institui a Comissão Bilateral, então Comissão Mista de Cooperação, ao que se seguiram a subscrição de outros instrumentos jurídicos.

Acordo relativo aos transportes aéreos de Cooperação Técnica, Protocolo Financeiro para execução de um programa de “Commodity Aid” para o apoio ao programa de reconstrução nacional, Protocolo sobre o Desenvolvimento Agrícola da Cintura Verde de Luanda, Acordo  para Gestão dos Fundos de Contrapartida e Acordo de Promoção e Proteccao Recíproca de Investimentos.

Destaque ainda, para o Acordo de um Programa de Cooperação ao Desenvolvimento da Segurança Alimentar e Assistência à População Deslocada é Vítima da Guerra, Acordo de Cooperação Cultural, Científica e Tecnológica, Acordo de Crédito e de Cooperação  entre o Ministério angolano da Saúde e a ENI Foudation.

Dentre outros referência para o Acordo de Cooperação em Matéria de Segurança e Ordem Pública, Acordo entre a Associação Industrial de Angola e a Assafrica & Mediterrâneo, Acordo sobre Isenção Recíproca de Vistos de curta duração em passaportes Diplomático e de  Serviço, bem assim como o Acordo de Cooperação no domínio da Defesa.

A República de Angola foi considerada pela cooperação italiana, como um país de primeira prioridade,mó que comportou um reforço das iniciativas italianas, segundo informação da Cooperação Italiana, que viriam a conhecer um impulso aquando da visita do Presidente angolano, José Eduardo dos Santos em 1997. (portalangop.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA