Eleições: Ano letivo e Orçamento do Estado com ‘voto’ na matéria

(D.R)

Cavaco terá a última palavra sobre a data de eleições, que devem realizar-se num domingo entre 14 de setembro e 14 de outubro.

(D.R)
(D.R)

O Presidente da República já se reuniu com os partidos para discutir a possível data das eleições legislativas.

Da parte da maior parte dos partidos com assento parlamentar, a preferência passa pelo dia 27 de outubro. É esta a data que conta com a preferência de PSD, CDS e PS e à qual o Bloco de Esquerda não diz que não, como nota o jornal Público.

A CDU, porém, preferia outubro, com Jerónimo de Sousa a realçar que em setembro há ainda “muita gente de férias” e que o que se quer é “permitir o máximo de participação possível” por parte dos eleitores.

O Orçamento de Estado é um dos argumentos referidos para que as eleições sejam logo em setembro, o que daria mais alguns dias de margem não só para aprovar o documento mas também para o novo executivo tomar posse. Ainda assim, lembra o líder dos comunistas que “não ficamos sem Orçamento de Estado” caso a escolha recaia por uma data em outubro, já que, com exceção de 2009, as eleições legislativas foram sempre em outubro.

O ano letivo é outro dos argumentos invocados pelos comunistas. O argumento defendido é que não se devia condicionar a participação dos eleitores com a abertura do ano escolar.

Os dias 27 de setembro e 4 de outubro configuram-se como os mais prováveis para este ato eleitoral. Nas palavras da porta-voz dos bloquistas, Catarina Martins, estas são precisamente as duas datas “que são simultaneamente o mais cedo possível, mas também faz com que as eleições decorram num período de vida normal”, já que o próprio ano letivo já terá iniciado. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA