E se Passos perder mas continuar à frente do país?

(D.R)

Cavaco Silva voltou a mostrar a sua preferência por um governo maioritário.

(D.R)
(D.R)

Quando anunciou ao país que as eleições são a 4 de outubro, o Presidente da República deu também conta da sua preferência por um executivo com “apoio maioritário e consistente no parlamento”. Mas o que pode acontecer se das legislativas sair um governo minoritário ao qual Cavaco Silva não quer dar posse?

Explica o jornal i que nada impede, formalmente, Cavaco Silva de não dar posse a um governo minoritário, quando a sua preferência é, nitidamente, por uma maioria clara. Porém, Cavaco Silva também não poderá dissolver o parlamento e convocar eleições caso falhe a maioria. Até porque as presidenciais acontecerão no início de 2016, poucos meses depois das legislativas.

Ora, perante um cenário que não é assim tão improvável – já que nenhuma sondagem recente aponta para maioria absoluta, seja do PS, seja da coligação PSD/CDS –, caso Cavaco Silva vá até ao fim com a sua ideia de um governo maioritário, poderíamos ter um cenário invulgar: Passos Coelho, mesmo perdendo eleições, poderia manter-se no poder até abril.

Caso esta combinação de fatores se verificasse, o país “fica seis meses com o governo atual em gestão”, explica ao mesmo jornal o constitucionalista Tiago Duarte. (noticiasaominuto.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA