Dirigente do MPLA vaticina vitória sobre opositores do progresso do país

Roberto de Almeida - Vice-presidente do MPLA (Foto: Clemente Dos Santos)
Roberto de Almeida - Vice-presidente do MPLA (Foto: Clemente Dos Santos)
Roberto de Almeida – Vice-presidente do MPLA (Foto: Clemente Dos Santos)

O vice-presidente do MPLA, Roberto de Almeida, afirmou neste sábado, em Luanda, que o seu partido e o povo angolano, juntos, vencerão com o trabalho, respeito as leis e as instituições do Estado, todos aqueles que directa ou indirectamente se opõem ao progresso de Angola.

“Com o povo, o MPLA lutará para vencer os próximos desafios políticos-eleitorais (as eleições gerais e autárquicas), assim como continuará a projectar-se no plano político e diplomático para contribuir positivamente para a paz e a segurança no continente africano e no mundo”, vincou.

Neste sentido, indicou que o MPLA continuará a defender com firmeza a paz, a unidade nacional e a construção de uma sociedade de bem-estar, progresso social e harmonia, ao mesmo tempo que apelou ao patriotismo, respeito pelos cidadãos e países que pretendem, de forma legal, ajudar Angola a desenvolver.

O dirigente partidário fez estas declarações quando discursava no acto político e cultural de massas que visou a divulgação do VII Congresso Ordinário do MPLA, convocado pelo seu Comité Central, na última sessão realizada no dia 2 de Julho deste ano, para o período de 17 a 20 de Agosto de 2016.

Segundo Roberto de Almeida, o próximo congresso, a realizar-se sob o lema “MPLA, com o povo – rumo à vitória”, visa preparar o partido para as eleições gerais de 2017, onde o partido considera fundamental a escolha do seu candidato à Presidente da República, antes da realização do conclave.

Visará também a consolidação do estado democrático e de direito, o reforço dos princípios da transparência e a boa governação a todos os níveis, da credibilidade das instituições do Estado e da inserção do MPLA na sociedade.

O dirigente sublinhou que o lema do conclave expressa bem a ligação do seu partido ao povo angolano, desde a altura da sua fundação, em 10 de Dezembro de 1956.

“O MPLA e o povo angolano sempre trilharam juntos os bons e os maus momentos do percurso histórico, económico e social de Angola”, sustentou, rematando que com o povo, o MPLA lutou e venceu o colonialismo português e conquistou a independência nacional.

Sustentou que “com o povo, o MPLA lutou e venceu os invasores do país, disputou e venceu as eleições realizadas em 1992, em 2008 e em 2012, consolidando o slogan o MPLA é o povo e o povo é o MPLA”, a par de outras conquistas enumeradas pelo dirigente partidário, todas assentes em princípios democráticos.

Na ocasião, anunciou que no congresso participarão 2.591 delegados do MPLA, 35 porcento dos quais deverão possuir até 35 anos de idade e outros 35 porcentos serão eleitos directamente a partir dos comités de acção do partido.

Os demais deverão seguir a organização habitual do processo de selecção de delegados e candidatos às conferências municipais, provinciais e ao Congresso, segundo o vice-presidente do partido governante em Angola.

Cerca de dez mil militantes, simpatizantes e amigos do MPLA participaram no acto realizado no complexo turístico Dream Space, ao município de Viana.

O secretário-geral do partido e o primeiro secretário provincial de Luanda, Julião Mateus Paulo “Dino Matrosse” e Bento Bento, respectivamente, também marcaram presença, assim como membros da direcção do partido. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA