Cunene: Governador aponta medidas para mitigar efeitos da seca

GOVERNADOR DA PROVINCIA DO CUNENE, ANTÓNIO DIDALELWA (Foto: José Cachiva)

Ondjiva – O governador provincial do Cunene, António Didalelwa, apontou, terça-feira, em Ondjiva, o reforço do abastecimento alimentar e o fornecimento de água potável às populações como principais medidas para mitigar os efeitos da seca junto das famílias afectadas.

GOVERNADOR DA PROVINCIA DO CUNENE, ANTÓNIO DIDALELWA (Foto: José Cachiva)
GOVERNADOR DA PROVINCIA DO CUNENE, ANTÓNIO DIDALELWA (Foto: José Cachiva)

O governante, que falava no acto de abertura das festividades dos 45 anos do Cunene, a assinalar-se a 10 de Junho, disse que para fazer face a situação o Governo províncial, em coordenação com o Executivo, colocou em marcha um plano de acção contendo medidas de emergência e outras de carácter mais sustentáveis, destacando-se o abastecimento alimentar às famílias afectadas, abertura e reparação de pontos de água.

Segundo ele, fazem igualmente parte do plano o estabelecimento de um sistema de alerta contra as calamidades, o apoio aos fazendeiros  com atribuição de material de irrigação entre outros meios técnicos, criação de silos, reforço do Papagro entre outras medidas de médio e longo prazo.

Estas medidas, referiu, visam  permitir o incremento da produção agrícola, com destaque para os cereais como o milho e massango, de modo a que o Governo possa adquir localmente estes bens e distribuir as comunidades mais carenciadas.

António Didalelwa recomendou igualmente a solidariedade entre vizinho através da partilha de pontos de agua junto a comunidade , reforço da produção de cereais por parte dos empresários, bem como a condução do gado afectado pela seca em locais de transumância, de modo a garantir que os animais tenham acesso ao pasto e agua.

Entretanto, sublinhou que o levantamento efectuado pelo Governo indica que 755 mil e 678 pessoas estão afectadas pelas consequência da seca e 508 mil e 483 cabeças de gado correm o risco de morrer, por falta  de água e pasto. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA