Cabo Verde: Governo promete electricidade a 100 porcento em 2016

JOSÉ MARIA NEVES, PRIMEIRO-MINISTRO DE CABO VERDE (Foto: Angop)

Praia – O primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, reafirmou quinta-feira, na cidade da Praia, a intenção do Governo de alcançar, já em 2016, uma cobertura de 100 porcento em matéria de energia eléctrica para as populações do país, apurou a PANA de fonte oficial.

JOSÉ MARIA NEVES, PRIMEIRO-MINISTRO DE CABO VERDE (Foto: Angop)
JOSÉ MARIA NEVES, PRIMEIRO-MINISTRO DE CABO VERDE (Foto: Angop)

O governante reconheceu que Cabo Verde possuía ainda grandes assimetrias regionais no sector da energia, sublinhou no entanto que, hoje, com investimentos realizados em todas as ilhas do país, a cobertura já atinge 96 porcento.

José Maria Neves procedeu, quarta-feira, à inauguração da nova extensão da Central Eléctrica do Palmarejo, que abastece toda ilha de Santiago, e que foi ampliada com uma construção de raiz e equipada com dois grupos geradores de 11,3 MW de potência cada, o que eleva a potência instalada a 71 MW.

Este reforço na central única, que abastece a maior e mais populosa ilha do arquipélago cabo-verdiano, foi conseguido através de um investimento na ordem dos 20 milhões de euros, segundo o primeiro-ministro.

O objectivo do Governo vai no sentido de aumentar a capacidade de produção de modo a existir reservas que garantam um serviço de melhor qualidade na prestação dos serviços de electricidade e água em todas as ilhas, disse José Maria Neves.

Para além disso, acrescentou, estamos a investir nas energias limpas e renováveis e a penetração agora é de 25 a 30 porcentos por razões ambientais para diminuirmos o custo da bombagem de água.

A seu ver, com este avanço, resta agora investir-se na eficiência e qualidade dos serviços prestados para que “possamos chegar a tempo e hora lá onde for preciso”.

Por sua vez, a ministra do Turismo, Investimentos e Desenvolvimento Empresarial, Leonesa Fortes, que tutela o sector energético, assinalou que, depois de muito investimento, hoje em 2015, já é possível falar da estabilidade, com redução substancial das falhas e de fornecimento de energia com qualidade e segurança.

“Em 2000, o consumo rondava os 330 KW por habitante por ano, mas hoje ele ronda os 800 KW. Pela primeira vez, o país pode falar em reservas de potência instalada nas ilhas e da garantia da cobertura universal para o conforto dos Cabo-verdianos”, regozijou-se a governante.

Conforme o presidente da Empresa Cabo-verdiana de Electricidade e Água (ELECTRA), Alexandre Fontes, investimentos realizados fazem com que a ilha de Santiago fique com uma capacidade de reserva de potência suficiente para a programação e realização dos trabalhos de manutenção, sem constrangimentos, para além de superar, com mais facilidade, eventuais avarias em diferentes grupos de geradores. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA