Cabinda: Governadora ressalta contribuição cubana

Governadora de Cabinda Aldina da Lomba Catembo (Foto: F. Miudo/Arquivo)
Governadora de Cabinda Aldina da Lomba Catembo (Foto: F. Miudo/Arquivo)
Governadora de Cabinda Aldina da Lomba Catembo (Foto: F. Miudo/Arquivo)

A governadora provincial de Cabinda, Aldina da Lomba Catembo, ressaltou nesta terça-feira a contribuição do povo cubano na luta de libertação nacional, no conflito armado pós-independência bem como na reconstrução e desenvolvimento do país participando na formação de quadros.

Ao abordar uma palestra subordinada ao tema “Angola 40 anos da independência e a participação dos internacionalistas cubanos na reconstrução de Angola”, lembrou que ao lado a lado dos angolanos e cubanos travaram o exército mercenário do então Zaire sem olhar a meios.

Disse que garantiram que à meia-noite de 11 de 11 de 1975 o Presidente Agostinho Neto pudesse proclamar a independência de Angola.

Os jovens, acrescentou, devem tomar conhecimento que a independência de Angola não foi dada como oferta mas foi obtida com fortes combates.

Referiu que se reconhece o grande papel dos internacionalistas cubanos, que com as ex-FAPLA defenderam a soberania, a independência e garantiram que hoje os angolanos pudessem ser livres.

A delegação cubana é composta por três internacionalistas que participaram na “Batalha do Ntó” contra unidades do exército regular do então república do Zaire apoiados por mercenários de várias nacionalidades, em vésperas da proclamação da independência nacional de Angol.

Na ocasião, os internacionalistas cubanos falaram da sua participação no conflito armado nos anos 70 e final da década de 80, na localidade, da amizade criada com a comunidade angolana, das experiências vividas, bem como a constatação do compromisso do governo na melhoria de vida do povo angolano.

A palestra enquadrou-se no programa de visita dos internacionalistas cubanos a província de Cabinda contou com a participação de representantes do Ministério das Relações Exteriores, da Embaixada de Cuba em Angola, da comunidade cubana residente, membros do governo, da Associação dos Caimaneros. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA