Bombeiros evitam deflagração de incêndio de grandes proporções no Rocha Pinto

SERVIÇO DE BOMBEIROS (Foto: Pedro Parente)

Um incêndio de grandes proporções foi, na quinta-feira, evitado pelo comando de Luanda do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) quando um camião cisterna que transportava combustível capotou, no bairro do Rocha Pinto, no distrito urbano da Maianga.

SERVIÇO DE BOMBEIROS (Foto: Pedro Parente)
SERVIÇO DE BOMBEIROS (Foto: Pedro Parente)

O porta-voz dos bombeiros, Faustino Mingues, disse hoje, sexta-feira, à Angop que o camião-cisterna que capotou transportava 40 mil litros de  gasolina do tipo Jet A-1 destinado ao abastecimento de aeronaves.

“ Por excesso de velocidade o camião captou na curva do viaduto da estrada que liga a Avenida 21 de Janeiro e a estrada principal da Samba, no sentido ascendente, e rapidamente o combustível começou a escorrer num raio de 120 metros numa vala de drenagem”, explicou.

Acrescentou que os moradores residentes ao longo da estrada começaram a recolher o combustível  com baldes e latas e por razões ainda não determinadas deflagrou um incêndio, extinto rapidamente pelos bombeiros.

De acordo com o porta-voz, se não fosse a rápida actuação dos bombeiros, estacados no local, a deflagração do fogo poderia atingir as residências localizadas ao longo da vala, onde o combustível escorreu, com graves consequências humanas e matérias.

Aconselhou as empresas de transportes de combustíveis a adquirirem viaturas apropriadas para o afeito, e nunca fazer adaptações, uma vez que determinados camiões cisternas são para transporte de água e são alteradas (…).

De acordo com o responsável, devem igualmente controlar o limite de velocidade, principalmente na altura do transporte do combustível, bem como ter sempre o material de extinção de incêndio,

Entretanto nas últimas 24 horas, os bombeiros   registaram, em Luanda,  outras sete ocorrências dos quais seis são  incêndios, tendo como  causa o  presumível fogo posto, curto circuito e negligência (vela acesa)  e afectou os sector habitacional, comercio e transporte nos municípios de Luanda (distritos urbanos da Ingombota , Sambizanga e kilamba-kixi), Cazenga e Quiçama. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA