Autoridades administrativas reforçam conhecimento sobre gestão de resíduos

Participantes no semanário sobre controlo fiscalização na área de resíduos (Foto: Rosário dos Santos)
Participantes no semanário sobre controlo fiscalização na área de resíduos (Foto: Rosário dos Santos)
Participantes no semanário sobre controlo fiscalização na área de resíduos (Foto: Rosário dos Santos)

Representantes de governos provinciais, administrações municipais e distritais reforçaram hoje (quinta-feira) os seus conhecimentos sobre métodos e mecanismos estratégicos que doravante serão utilizados pelo Ministério do Ambiente na fiscalização e controlo da gestão dos resíduos urbanos.

Reunidos em Luanda num seminário de capacitação sobre controlo e fiscalização da área de gestão de resíduos, promovido pela Agência Reguladora de Resíduos do Ministério dos Ambiente, os participantes receberam conhecimentos sobre a estratégia nacional sobre a gestão de resíduos urbanos; a fiscalização na componente especifica dos resíduos, como forma de prevenção e controlo da saúde pública e do ambiente.

O poder local na gestão de resíduos – Os aterros como solução para gestão sustentável de resíduos. O processo de concessão de serviços de limpeza urbana e recolha de resíduos urbanos – mecanismos legais existentes para a prossecução da actividade de fiscalização (Relação entre Agencia Nacional de Resíduos e as Administrações Municipais) foram outros temas analisados.

Na ocasião, o vice-governador do Bié para área técnica e infra-estruturas, José Tchatuvela, enalteceu a realização do evento e deu a conhecer que o governo provincial local prepara-se para dar uma maior atenção à gestão dos resíduos urbanos, incluído os hospitalares.

Em declarações à Angop, o vice-governador disse que está previsto para 2016 a construção de três aterros e seis valas sanitárias, para as regiões com menos aglomerado populacional.

Por seu lado, a administradora adjunta do município da Caála (Huambo), Umbelina Maria, referiu que a situação ainda não é preocupante na região, apesar das autoridades estarem atentas aos focos nos mercados paralelos.

A responsável admite que com o crescimento habitacional e populacional que tem vindo a registar-se o quadro poderá mudar, uma situação que será contrariada com a implementação do Plano Estratégico de Gestão de Resíduos Urbanos e outros mecanismos legais.

Com a duração de um dia, a actividade foi orientada pela ministra do Ambiente, Fátima Jardim, e a sua abertura foi presidida pelo ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA