Arábia Saudita: Presas 431 pessoas acusadas de pertencer ao EI

(AFP)
(AFP)
(AFP)

O ministério saudita do Interior anunciou neste sábado o desmantelamento de uma organização ligada ao grupo jihadista Estado Islâmico (EI) e a prisão de 431 de seus membros, em sua maioria sauditas.

As autoridades “conseguiram destruir nas últimas semanas uma organização formada por pequenas células, que estava ligada ao grupo terrorista Daesh”, acrónimo em árabe do EI, indicou o ministério dois dias após um atentado com carro-bomba na capital da Arábia Saudita reivindicado pelo grupo jihadista sunita.

Os membros da rede operavam “um roteiro preparado a partir de áreas agitadas no exterior, a fim de semear a discórdia e estender o caos”, indica o ministério.

As células estariam envolvidas em vários ataques, incluindo os recentes atentados suicidas contra mesquitas xiitas no leste do reino, segundo as autoridades.

O EI, que considera os xiitas como hereges, reivindicou a autoria desses ataques.

A Arábia Saudita, país do Golfo de maioria sunita, tem aumentado nos últimos meses a prisão de extremistas sunitas suspeitos de planear ataques, e denunciou os ataques anti-xiitas como contrários ao Islã.

Conhecido por sua brutalidade, o EI, que proclamou um “califado” nas regiões que controla no Iraque e na Síria, é temido na Arábia Saudita, que acredita que seus ataques vão inflamar as tensões sectárias entre a maioria sunita e a minoria xiita.

A participação da Arábia Saudita na coligação internacional que combate os jihadistas também tem gerado medo de represálias. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA