Ler Agora:
Ano Parlamentar termina a 14 de Agosto
Artigo completo 3 minutos de leitura

Ano Parlamentar termina a 14 de Agosto

Adalberto da Costa Júnior - Deputado da UNITA (Foto: Clemente Dos Santos)

Adalberto da Costa Júnior – Deputado da UNITA (Foto: Clemente Dos Santos)

A Assembleia Nacional (AN) realiza a 12 de Agosto a sua IV Reunião Plenária Extraordinária, dois dias antes (14 de Agosto) do encerramento oficial do Ano Parlamentar 2015.

A informação foi avançada nesta quinta-feira à imprensa, pelo segundo secretário de mesa da AN, Raul Lima, no final de uma Conferência dos Presidentes dos Grupos Parlamentares.

Explicou que dia 12 serão submetidos à aprovação as Propostas de Lei da Nacionalidade, Arrendamento Urbano, Tribunais da Relação e Medidas Cautelares no Processo Penal.

Será ainda submetido à votação o Projecto de Resolução que Aprova a Dotação Global do Orçamento da Assembleia Nacional para o exercício económico de 2016.

Já para o dia 14, adiantou o deputado, de acordo com o regimento do Parlamento, os deputados vão proceder ao encerramento do Ano Parlamentar 2015.

O acto será marcado pela apresentação do relatório de balanço do ano que finda e o discurso de encerramento, a ser proferido pelo presidente da AN, Fernando da Piedade Dias dos Santos.

Os líderes da oposição lamentaram o facto de não ter sido agendada a Proposta de Lei que aprova a integração de comissários à Comissão Nacional Eleitoral (CNE ).

Relativamente a este assunto, o vice-presidente da Bancada Parlamentar do MPLA, João Pinto, disse à imprensa que até ao momento os partidos políticos não enviaram os dados à comissão de especialidade.

Explicou que a CASA-CE havia intentado uma acção da fiscalização preventiva da resolução da AN, que indica os membros dos partidos políticos na CNE e por este facto seria impossível caminhar por delimitação constitucional.

“Não há nenhum interesse em querer pôr em causa ou impossibilitar o regular funcionamento da CNE, até porque já existem representantes de partidos indicados em 2011”, disse.

Por seu turno, o vice-presidente do Grupo Parlamentar da UNITA, Adalberto da Costa Júnior, frisou que esta matéria limita bastante o funcionamento da CNE, tendo em conta que se aproxima a realização das eleições no país.

Já André Mendes de Carvalho, líder do Grupo Parlamentar da CASA-CE, sugeriu um tempo mínimo aos grupos parlamentares para se fazer passar a sua mensagem, com vista a estabelecer o diálogo com a sociedade.

Benedito Daniel, presidente da Bancada do PRS, deu a conhecer que o seu partido já deu entrada dos processos dos agentes eleitorais e que até a altura não foi notificado pela primeira comissão do Parlamento.

Disse que isso justifica que a maioria dos partidos políticos não preencheu o quadro da documentação dos seus agentes.

Já Lucas Ngonda, da FNLA, considerou importante a Proposta de Lei do Arrendamento Urbano, tendo em conta os valores exorbitantes dos arrendamentos no país. (portalangop.co.ao)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »