Alemanha é o convidado especial da FILDA em Angola

(DW)
(DW)
(DW)

Cerca de 800 expositores de 40 países, entre eles a Alemanha, participam na 32ª. edição da Feira Internacional de Luanda (FILDA). Paralelamente ao certame decorre o fórum de negócios Angola-Alemanha.

Em tempos de crise, Angola aposta na maior feira de negócios do país. Esta terça-feira de manhã (21.07), o Jornal de Angola titulava que a Feira Internacional de Luanda (FILDA) deste ano “bate todos os recordes”.

O Estado angolano investiu cerca de 250 milhões de kwanzas (cerca de 1,8 milhões de euros) nesta edição, a 32ª.

Estão presentes cerca de 800 expositores de 40 países, incluindo o Brasil, a China e Portugal. A Alemanha é o convidado especial. Os alemães bateram também o seu próprio recorde – este ano, 28 empresas alemãs estão presentes na FILDA.

Para estreitar laços e no sentido de “ampliar” as relações comerciais entre Angola e a Alemanha, a secretária de Estado parlamentar do Ministério alemão da Economia e Energia, Brigitte Zypries, veio até Luanda e trouxe consigo uma delegação empresarial, não só para a feira internacional mas também para o 6º Fórum Económico Alemão-Angolano, que se realiza em simultâneo no Hotel de Convenções de Talatona.

Empresários alemães discutem oportunidades de negócios

(DW)
(DW)

Ao longo dos dois dias do Fórum, que termina oficialmente esta quarta-feira (22.07), dezenas de empresários alemães irão debater oportunidades de negócios e desafios nos sectores da energia, saúde, indústria e infra-estruturas, por exemplo.

Em tempos de crise devido à baixa dos preços do petróleo a nível mundial, a diversificação da economia será um tema transversal a todo o Fórum.

Na quinta-feira (23.07), uma delegação empresarial alemã vai até à província de Malanje. Nos próximos anos, as autoridades provinciais esperam aumentar a produção e exportação de alimentos através de investimentos em projectos agro-industriais.

A FILDA prolonga-se até 26 de Julho sob o lema “Dinamismo, criatividade e competência na produção nacional”. (dw.de)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA