AJEA defende elaboração de programas comuns a nível da CPLP

Bandeira CPLP (D.R)

A Associação da Juventude Ecológica de Angola (AJEA) defende, em Aveiro (Portugal) a elaboração e implementação prática de um programa comum de Educação Ambiental a nível dos países que compõem a Rede Lusófona de Educação Ambiental (REDELUSO).

Bandeira CPLP (D.R)
Bandeira CPLP (D.R)

O posicionamento será apresentado durante o 3º Congresso Lusófono de Educação Ambiental que arrancou quarta-feira, em Aveiro (Portugal), numa promoção da Associação de Educação Ambiental de Portugal (ASPEA), em parceria com a Câmara Municipal de Murtosa.

Segundo o comunicado de imprensa enviado hoje (quinta-feira) à Angop, a AJEA entende que apesar dos constrangimentos em termos de recursos financeiros e as diferenças entre os Estados que integram a REDELUSO, será possível dar início a estruturação de ideias comuns que conduzam a materialização de acções nos diversos territórios com troca de experiência, formação, oficinas de trabalho e produção de material.

“O grande desafio será a mobilização de financiamento, tendo em conta a situação económica de países como Angola, Brasil e Portugal, que têm tido maior disponibilidade de apoios quer pelo sector público como privado”, refere a nota.

Neste 3º congresso em que Angola se faz presente com representantes de diversas associações  ambientais e do próprio Ministério do Ambiente, a AJEA que marca presença pela segunda vez consecutiva, partilha a sua experiência com a apresentação dos livros Datas Ambientais e Glossário  Ambiental.

Já a fundação Kissama, que também participa do evento, apresentará o seu projecto denominado Histórias para Conservar, uma colecção de livros com contos sobre algumas espécies da fauna angolana que estão sob risco de extinção.

O 3º Congresso Internacional de Educação Ambiental dos Países da Comunidade de Língua Portuguesa decorrerá de 8 a 12 de Julho de 2015. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA