Activistas presos proibidos de lerem Pepetela

(DR)
(DR)
(DR)

Os activistas detidos por alegadamente planearem uma insurreição  para derrubar o presidente José Eduardo dos Santos estão proibidos de ler o conhecido escritor angolano Pepetela.

Com efeito a obra de Pepetela “Terrorista de Berkley, California” é um dos livros que as autoridades proibiram. O outro livro proibido aos presos é  “As origens do Totalitarianismo”, de Hannah Arendt.

Os livros foram proibidos pela direcção dos serviços prisionais de Calomboloca

Os detidos disseram à VOA que estão descontentes  com a sua situação, particularmente pelo facto de continuarem em celas solitárias.

Nito Alves, por exemplo, descreveu o local como tendo falta de condições de higiene, sem água para o consumo humano.

Adolfo Campos, membro do “Movimento Revolucionário” afirmou  estarem em curso   diversas acções para forçar as autoridade angolanas a soltar os activistas.

Campos revelou terem enviado  uma carta ao governo provincial de Luanda para darem a conhecer a realização de uma manifestação no final deste mês.

“Já entregamos uma carta para uma manifestação no dia 29 deste mês” disse.

O activista a firma que caso as autoridades não  soltem os detidos, o país vai registar uma onda de protestos contra o executivo angolano.

De recordar que um capitão das forças armadas angolanas, Zenóbio Zumba, que trabalhava nos serviços de inteligência e segurança militar, foi preso recentemente.

Anteriormente as autoridades tinham anunciado que entre as 15 pessoas inicialmente detidas se encontrava um outro oficial, o tenente da Força Aérea Osvaldo Caholo. (voa.com)

por Coque Mukuta

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA