Vice-presidente na homenagem aos heróis moçambicanos

Manuel Vicente (à esq.) saúda Hage Geingob, Presidente da Namíbia, na homenagem aos heróis moçambicanos, em Maputo (Foto: Pedro Parente)

Maputo – O vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente, esteve na manhã desta quinta-feira, na Praça dos Heróis Moçambicanos, em Maputo, entre as altas entidades que homenagearam as figuras que lutaram pela liberdade deste país, que hoje completa 40 anos de independência.

Manuel Vicente (à esq.) saúda Hage Geingob, Presidente da Namíbia, na homenagem aos heróis moçambicanos, em Maputo (Foto: Pedro Parente)
Manuel Vicente (à esq.) saúda Hage Geingob, Presidente da Namíbia, na homenagem aos heróis moçambicanos, em Maputo (Foto: Pedro Parente)

Na praça dos heróis moçambicanos, o Presidente Filipe Nyusi foi o primeiro a depositar uma coroa de flores, na presença de centenas de delegações estrangeiras, e curvou-se perante a memória dos milhares que lutaram pela liberdade do país.

Além de Manuel Vicente, altas entidades como o Presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe, da Zâmbia, Edgar Lungo, e da Namibia, Hage Geingob,  homenageram nesta manhã moçambique e seus heróis.

Para o antigo Presidente de Moçambique, Armando Guebuza, em declarações à imprensa angolana, o sentimento 40 anos depois é de grande felicidade, por esta grande conquista.

Armando Guebuza disse ainda que a independência é também uma referência da unidade do povo moçambicano e a sua capacidade de resolver os seus problemas, o que é fundamental.

Já o bispo de Maputo, dom Chimoio, disse que esta é uma grande festa que mostra a vida do povo moçambicano, sua capacidade de definir o seu rumo, depois de 500 anos de dominação colonial.

O bispo acrescentou ainda que, apesar disso, existem certos desafios em diferentes sectores, mas que é necessário que todos, unidos, contribuam para o crescimento harmónico do país.

A 25 de Junho de 1975 os moçambicanos proclamavam a independência da então colonia portuguesa e manifestavam claramente o desejo de tornarem-se autónomos política, económica e financeiramente para a condução dos destinos da sua pátria.

Hoje, passados 40 anos, os cerca de 24 milhões de moçambicanos fazem  o balanço e projectam os desafios para os próximos anos, tendo em vista a visão dos heróis desta nobre nação como Samora Machel e Eduardo Mondlane.

A República de Moçambique é um país localizado no sudeste de África, banhado pelo Oceano Índico, a leste, e que faz fronteira com a Tanzânia, ao norte, Malawi e Zâmbia, a noroeste. Tal como Angola, é membro da SADC, CPLP e PALOP. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA