Terrenos férteis da província do Bengo atraem empresários nacionais e estrangeiros

Bengo: Plantação de Bananeiras no Perímetro Irrigado de Caxito (Foto: Angop)

Com vastos terrenos férteis para a prática da agricultura e abundantes recursos hídricos, a província do Bengo, localizada a Norte de Luanda, capital de Angola, apresenta-se, nesta era da diversificação da economia do país, como a principal preferência de investidores nacionais e estrangeiros ligados ao sector agrícola.

Bengo: Plantação de Bananeiras no Perímetro Irrigado de Caxito (Foto: Angop)
Bengo: Plantação de Bananeiras no Perímetro Irrigado de Caxito (Foto: Angop)

Liderados pelo angolano Rogério Martins Leonardo, os empresários, que até então canalizavam preferencialmente os seus investimentos no ramo da Construção Civil, decidiram ampliar as suas acções no sector da agricultura, uma área fundamental para o processo de diversificação da economia do país.
O exemplo desta “corrida” ao território do Bengo é demonstrado por um grupo de investidores nacionais e estrangeiros no Perímetro Irrigado de Caxito, localizado no município do Dande, onde se assiste nos dias de hoje um intenso trabalho de cultivo de bananais.
No segundo semestre de 2011 e já na visão de que Angola voltaria, num futuro próximo, a desempenhar, através da agricultura, um papel primordial no desenvolvimento económico, sobretudo na produção de alimentos e arrecadação de receitas para potenciar o Orçamento Geral do Estado, os empresários criaram a fazenda TuriAgro.
A iniciativa do Governo angolano de criar um campo agrícola irrigado na antiga Açucareira Heróis de Caxito, na cidade com o mesmo nome, deu oportunidade a muitos empresários de investir directa ou indirectamente na produção de banana em quantidade e qualidade desejável para abastecer os mercados formal e informal da capital do país.
A fazenda TuriAgro, que iniciou a produzir no final de 2012 num espaço de apenas 20 hectares, hoje estendeu-se para 400 hectares, sendo 170 para o cultivo da banana de mesa, 10 para mamão e os restantes espaços para outras culturas.
Investimento inicial do projecto
Embora seja difícil quantificar o volume de investimento inicial do projecto no sector agrícola, segundo o director da Fazenda TuriAgro, Adamilton Alves dos Santos, o projecto consumiu já, desde o seu arranque em 2013, cerca de um bilião e 200 mil Kwanza, totalmente suportados pelo grupo.
Força de trabalho
A granja, com apenas três anos de actividade efectiva, emprega perto de 400 trabalhadores, maioritariamente jovens que encontraram o seu primeiro emprego.
Produção
A fazenda TuriAgro conta com uma produção anual de 12 mil toneladas de banana e dois mil de mamão, que são comercializados nos supermercados de Luanda, Benguela, Lunda Norte, Lunda Sul, Moxico e Zaire.

Vertente social e formação de técnicos

Dada a importância que os empresários atribuem a componente formação para o aumento da qualidade da produção, a empresa assinou protocolos com a Universidade Metodista de Angola e com o Instituto Médio Agrário do Tchivinguiro para a integração dos recém-formados na fazenda. Com esta política, estão criadas as condições para os recém-formados desenvolvem as acções práticas.

Um ano depois da criação da Fazenda, os empresários passaram a implementar um plano de formação que visa dotar de competência os colaboradores nacionais para reduzir, ao máximo, a dependência de quadros expatriados.
Para o efeito, a gestão da fazenda elaborou e cumpriu um plano de formação que se baseia na vertente de formação interna e externa.
Município de Dande 
Dande é um dos municípios da província do Bengo, com sede na cidade de Caxito. Tem 6 529 km² e é composto pelas comunas de Barra do Dande, Caxito, Mabubas, Kikacabo e Úcua.
O município adapta o nome de um dos seus rios mais importante que passa pela sua sede e desagua numa das suas comunas – Barra do Dande. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA