Suspeito de crime de rebelião exila-se na Embaixada dos EUA

Embaixada dos EUA em Angola (Foto: Angop)

Um dos suspeitos envolvido no grupo de cidadãos que planeavam subverter a ordem constitucional estabelecida em Angola, de que resultou a detenção de 15 indivíduos, refugiou-se na Embaixada dos Estados Unidos da América, onde pediu asilo político, soube hoje a Angop em Luanda. De acordo com uma fonte, trata-se de Dionísio Gonçalves Casimiro, mais conhecido por Carbono.

Embaixada dos EUA em Angola (Foto: Angop)
Embaixada dos EUA em Angola (Foto: Angop)

Na sequência de uma denúncia, a Procuradoria-Geral da República (PGR) esclareceu quinta-feira em comunicado os motivos da detenção de 15 pessoas suspeitas de prepararem rebelião contra órgãos de Estado angolano.

Durante as buscas foram encontrados, na sala onde o grupo se reunia, manuais de instrução e outros documentos, bem como escritos em cadernos com teores comprovativos das intenções criminosas.

No mesmo comunicado, a PGR refere que entre os documentos apreendidos constava um plano de composição de todos os órgãos do Estado para serem providos pelos “insurrectos” e por outras pessoas por eles indicadas para eventual governo de salvação nacional, pelo que o Ministério Público decretou a prisão preventiva dos suspeitos, após terem sido ouvidos em autos de interrogatórios de arguido. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA