Socialistas dizem ser necessário “acordar a malta”

(D.R)

A direcção do Partido Socialista reuniu-se e abordou o tema das sondagens como forma de estabelecer novas formas de actuação.

(D.R)
(D.R)

A recente sondagem da Universidade Católica, em que o Partido Socialista aparece atrás da coligação (38% para a coligação PSD/CDS e 37% para PS), deverá marcar uma mudança de rumo, algo que foi possível perceber na última reunião parlamentar, apurou o Diário de Notícias (DN).

Os resultados apresentados foram bastante inesperados, já que após as previsões de voto que se seguiram às eleições primárias, em que António Costa derrotou António José Seguro, o PS estava confortavelmente perto de uma maioria absoluta.

Na reunião em que se discutiu a “análise da situação política”, o tema das sondagens esteve em cima da mesa, por iniciativa de Ferro Rodrigues. Apesar de o assunto ter acabado por ser um pouco desvalorizado, chegou-se a uma conclusão: é necessário “acordar a malta”.

Os socialistas lembraram na reunião, conta o DN, que, em 2011, o PS chegou a estar à frente nas sondagens e acabou por obter um resultado negativamente histórico. Assim, os responsáveis do partido aguardam com expectativa as próximas sondagens para perceberem se haverá, ou não, uma confirmação de resultados.

Pedro Magalhães, especialista em sondagens e criador do centro da Católica, acredita que “é cedo para dizer se a coligação está a subir: se assim for, isso terá de ser forçosamente confirmado nas próximas sondagens da Aximage e da Eurosondagem”.

Após os resultados serem tornados públicos, Porfírio Silva, membro do Secretariado Nacional do PS, revelou que “há um trabalho de mobilização cívica a fazer” e há a necessidade de “fazer melhor” para tentar mobilizar o país. (noticiasaominuto.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA