Serviço de Fiscalização intensifica combate a venda ambulante e recolha de viaturas em Viana

MERCADO INFORMAL (Foto: Angop)

O combate a venda ambulante na zona urbana, a recolha de viaturas avariadas, acidentadas, sucatas, roulottes e contentores, estão entre as prioridades do Serviço Municipal de Fiscalização de Viana para os próximos meses, disse hoje, segunda-feira, o chefe desta instituição, Conceição Paulo Francisco.

MERCADO INFORMAL (Foto: Angop)
MERCADO INFORMAL (Foto: Angop)

Em declarações à Angop, em Viana, o responsável considerou que para o combate a venda ambulante são necessárias medidas colectivas , pois muitos cidadãos são os promotores desta acção, ao fazerem compras em plena via pública, em detrimento dos mercados oficiais.

Com efeito, explicou, estão a desenvolver um trabalho de sensibilização junto dos proprietários de “casas de processo”, de modo a pararem com esta prática.

“ Temos explicado as pessoas que as suas casas são apenas residências e não armazéns ou depósito de mercadorias, e que se insistirem nesta prática seremos obrigados a tomar outras medidas, que vão desde a aplicação de multas à apreensão das mercadorias”, referiu.

De igual modo, disse, estão igualmente a trabalhar na recolha de viaturas avariadas ou sucatas ao longo das vias do município, pois o administrador potenciou o seu sector com duas viaturas novas de reboque, para além da parceria com empresas privadas que têm prestado serviços neste domínio.

“ Além de viaturas abandonadas, também temos procedido a recolha de contentores e roulottes”, frisou.

Relativamente ao lixo, Conceição Francisco sublinhou que têm aplicado multas a alguns armazenistas, por estarem entre os maiores produtores.

“ Muitos armazenistas depois de descarregarem os contentores depositam o lixo daí resultante defronte aos seus armazéns”, enfatizou.

Por via disso, em parceria com a direcção local do Comércio, já foram aplicadas multas e encerrados alguns estabelecimentos comerciais.

O município de Viana é um dos mais habitados da província de Luanda, com mais de dois milhões de habitantes distribuídos pela comuna sede e Calumbo, albergando o maior parque industrial do país. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA