Senado dos EUA aprova proibição de tortura em interrogatórios

O senador John McCain após uma reunião com o secretário de Estado John Kerry e outros congressistas em 14 de abril em Washington, DC (Foto de Brendan Smialowski/AFP/Arquivos)
O senador John McCain após uma reunião com o secretário de Estado John Kerry e outros congressistas em 14 de abril em Washington, DC (Foto de Brendan Smialowski/AFP/Arquivos)
O senador John McCain após uma reunião com o secretário de Estado John Kerry e outros congressistas em 14 de abril em Washington, DC (Foto de Brendan Smialowski/AFP/Arquivos)

O Senado dos Estados Unidos aprovou nesta terça-feira a proibição de tortura durante interrogatórios, uma medida muito esperada para acabar com as técnicas brutais usadas contra supostos terroristas após os atentados de 11 de Setembro de 2001.

A medida foi aprovada por 78 votos contra 21, com o aval de todos os democratas e de 32 republicanos.

Um dos promotores do projecto é o republicano John McCain, torturado no Vietname, onde foi prisioneiro de guerra durante mais de cinco anos após ser capturado em 1967.

“Esta emenda dá uma maior segurança de que os Estados Unidos nunca mais seguirão o caminho obscuro de sacrificar nossos valores para satisfazer nossas necessidades de segurança a curto prazo”, disse McCain.

A proibição passou como emenda à Lei de Autorização de Defesa Nacional para 2016, que é debatida no Congresso.

Senado e Câmara de Representantes terão de aprovar o projecto de lei com a emenda, para que seja sancionado pelo presidente Barack Obama, o que certamente ocorrerá. (afp.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA