Sem favorito Petro e Libolo definem título do 37º Nacional

Jogo de Basquetebol Libolo e Petro de Luanda (Foto: Antonio Escivao)
Jogo de Basquetebol Libolo e Petro de Luanda (Foto: Antonio Escivao)
Jogo de Basquetebol Libolo e Petro de Luanda (Foto: Antonio Escivao)

As equipas do Petro de Luanda e Recreativo do Libolo disputam na noite desta terça-feira (19:00), no pavilhão principal da Cidadela, o título da 37ª edição do campeonato nacional sénior masculino de basquetebol, numa partida cujo grau de favoritismo acentua-se nulo, a julgar pelo desempenho de ambas nos Play off.

Empatada a série a três vitórias, a petrolíferos e libolenses pouco ou nada resta no sétimo e último desafio, senão usar todos os argumentos capazes de os levar a uma vitória e consequente consagração do maior troféu nacional da bola ao cesto, independentemente de terem iniciado a prova com objectivos bastantes adversos no que concerne ao título.

Dado o equilíbrio demonstrado nos seis encontros, quer em termos de resultado, no desempenho dos atletas e na táctica dos treinadores, a partida afigura-se bastante renhida, afastando a ideia de favoritismo que no início dos Play off pendia para o Libolo, campeão nacional em título e africano de clubes.

A jogar na condição de visitado, o Petro, que tem pautado o desempenho no jogo colectivo, sob liderança do base Emanuel Quezada, coadjuvado pelo poste Jason Cain e os extremos Roberto Fortes e Leonel Paulo, vai procurar confirmar o bom momento de forma adquirido no decurso da época e reconquistar o título perdido em 2011, pretensão até então descartada pela direcção do clube.

A formação do Cuanza Sul tem quatro dos cinco principais jogadores da selecção nacional, mas ainda assim revelou-se incapaz de evitar a “negra”, arriscando-se a deixar escapar a possibilidade de fazer a dobradinha na época, após ter conquista a Taça de Angola.

O conjunto orientado pelo português Norberto Alves, no qual integram os experientes Carlos Morais, Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas e Valdelício Joaquim cedo deu mostras de favoritismo na luta à revalidação, pois afastou sem dificuldades o 1º de Agosto, na meia-final, mas parece ter perdido fulgor no confronto com os petrolíferos.

Nas fases anteriores, o Libolo em quatro jogos não venceu o Petro de Luanda, conseguindo tal proeza apenas na segunda partida da final por cinco pontos de diferença (100-95), mesmo resultado com que começou a perder os Play off.

Posteriormente, ganhou por 18 (99-81) e um ponto de diferença (78-77) e perdeu por oito (88-96) e um (89-90). Em seis encontros os detentores do troféu marcaram 549 e consentiram 539.

Ambas acumulam já 13 títulos nacionais, sendo 11 dos anfitriões desta noite e dois do Libolo, numa prova liderada pelo 1º de Agosto com 17, dos quais seis de forma consecutiva. O Atlético Sport Aviação (ASA) conquistou três campeonatos, o Sporting de Luanda dois e o Ferroviário de Angola um. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA