Responsável da família que faleceu por inalar monóxido de carbono pede ajuda

GERADOR (Foto: ANTÓNIO ESCRIVÃO)

O responsável pelos membros de uma família que faleceu sábado, no bairro do Cantintom, no distrito da Maianga, em Luanda, por inalação de monóxido de carbono, pediu ajuda da sociedade civil para a realização dos funerais das vítimas.

GERADOR (Foto: ANTÓNIO ESCRIVÃO)
GERADOR (Foto: ANTÓNIO ESCRIVÃO)

Em declarações à Angop o chefe de família, que na altura da tragédia se encontrava fora de Luanda em missão de serviço na província do Huambo, lamentou o facto de não ter condições financeiras para suportar os óbitos.

“ Encontro-me numa situação bastante complicada e mesmo com a ajuda de familiares, irmãos da igreja e vizinhos, não é suficiente para suportar as despesas até os enterros”, lamentou

Cinco membros da mesma família morreram na madrugada de sábado, no bairro do Cantintom, comuna do Cassequel, na Maianga, por  terem inalado o fumo do gerador  no  interior  da residência em que viviam.

Na tragédia morreram a mãe, de 36 anos de idade,  três filhos, nove, seis anos e 10 meses, bem como um sobrinho de 21 anos. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA