Renamo denuncia novos ataques das Forças de Segurança de Moçambique

António Muchanga, porta-voz da Renamo (DR)
António Muchanga, porta-voz da Renamo (DR)
António Muchanga, porta-voz da Renamo
(DR)

A Renamo convocou esta terça-feira a imprensa, para denunciar que no último domingo agentes da Unidade de Intervenção Rápida, atacaram uma das suas bases em Nkondezi, distrito de Moatize, província de Tete, deste ataque resultou segundo a polícia a morte de um membro das forças governamentais.

A denúncia deste ataque ocorreu um dia depois de em Maputo, as delegações do Governo e da Renamo terem chegado a consensos sobre a despartidarização da Função Pública, tendo ficado agendado para esta sexta-feira (19/06) a assinatura do respectivo acordo, o que pode significar uma nova fase no diálogo, depois de o Presidente Filipe Niusy ter considerado “oportuno” voltar a avistar-se com Afonso Dhlakama.

As Forças de Defesa e Segurança de Moçambique, negam a autoria deste ataque, mas confirmam haver baixas no seio das forças governamentais.

Pedro Cossa, porta-voz do comando geral da polícia confirmou que se registaram “dois feridos…um deles contraíu ferimentos graves e viria a perder a vida, já a caminho do hospital de Tsangano“.

Por sua vez António Muchanga, porta-voz da Renamo, o principal partido da oposição moçambicana, afirmou hoje (16/06) “no domingo à tarde, dois camiões partiram da cidade de Tete cheios de militares, e foram àquela povoação, atacar o quartel da Renamo, nos confrontos registados houve mortos, feridos e a destruição de Land Cruiser“. (rfi.fr)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA