Quadros militares recebem diplomas

Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Manuel Hélder Vieira Dias (Foto: Angop)

O ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Manuel Hélder Vieira Dias, defendeu ontem, em Luanda, o reforço da estratégia de formação técnico-profissional dos quadros militares, no âmbito da preparação e desenvolvimento das Forças Armadas Angolanas (FAA).

Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Manuel Hélder Vieira Dias (Foto: Angop)
Ministro de Estado e Chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Manuel Hélder Vieira Dias (Foto: Angop)

Ao discursar na cerimónia de outorga de diplomas aos primeiros 31 licenciados do curso de Medicina e de mais de 134 licenciados em Engenharia pelo Instituto Superior Técnico Militar (ISTM), o general das FAA mencionou que a ideia é fazer do militar um comandante, chefe, educador, instrutor, técnico qualificado e um combatente.

Manuel Hélder Vieira Dias referiu que a Medicina e a Engenharia, enquanto ciências, são elementos críticos de asseguramento multilateral das Forças Armadas Angolanas. “Tenho a certeza de que os cursos de Medicina e de Engenharia ensinaram aos recém-licenciados que as Forças Armadas Angolanas servem a Nação e os angolanos, com elevados padrões de patriotismo, de ética, e de moral, na observância da Constituição e das leis assentes nas virtudes de lealdade, honra e disciplina”, afirmou.

A cerimónia contou com a presença de oficiais generais e superiores das FAA, membros do Executivo, deputados à Assembleia Nacional e docentes e técnicos do Instituto Superior Técnico Militar, que abriu as portas a 15 de Maio de 2008.
O Instituto Superior Técnico Militar (ISTM) licenciou até ao momento 285 militares em Medicina,  Engenharia Informática, Mecânica, Electrónica e Construção.

Para a formação destes quadros, o ISTM contou com a contribuição de docentes angolanos e estrangeiros, nomeadamente cubanos, portugueses, vietnamitas e russos, com a supervisão do Ministério do Ensino Superior.
Nos diferentes cursos promovidos no ISTM participaram cadetes de Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. (jornaldeangola.ao)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA