Progresso na condição das crianças garante estabilidade do Estado

GORDON KRICKE - REPRESENTANTE DA UNIÃO EUROPEIA EM ANGOLA (Foto: Pedro Parente)

O progresso na condição das crianças é essencial para evitar a fragilidade do Estado e garantir, a longo prazo, o desenvolvimento sustentável e a coesão social, bem como a estabilidade da segurança humana a nível nacional, regional e global, considerou hoje, quinta-feira, em Luanda, o Embaixador da União Europeia em Angola, Gordon Kricke.

GORDON KRICKE - REPRESENTANTE DA UNIÃO EUROPEIA EM ANGOLA (Foto: Pedro Parente)
GORDON KRICKE – REPRESENTANTE DA UNIÃO EUROPEIA EM ANGOLA (Foto: Pedro Parente)

O diplomata falava durante uma conferência de imprensa, que teve como objectivo  divulgar os programas e as parcerias, através das quais contribui para a promoção e protecção de direitos da criança no país.

Segundo o responsável, a União Europeia está empenhada em proteger e promover os direitos da criança em todos os países do mundo, sendo o seu principal objectivo apoia-los nos esforços para cumprir os seus compromissos com a protecção dos direitos  da criança e, promover uma melhor compreensão dos princípios e disposições sobre a convenção dos direitos da criança.

Sublinhou que a UE em Angola tem  um programa de medidas elaboradas  para o reforço das instituições nacionais, através de projectos estruturais como as intervenções feitas na área de saúde materno-infantil, que terá um impacto transversal no desenvolvimento de todo o sector e especialmente para o alcance dos objectivos do milénio.

“Com este projecto, em particular, esperamos contribuir decisivamente para atingir as metas definidas pelo Ministério da Saúde no plano nacional de desenvolvimento sanitário de redução da taxa de mortalidade materna de 450 para 250 (por cem mil nados vivos) e a redução da taxa mortalidade em menores de cinco anos de 195 para 145 (por mil nados vivos).

Acrescentou ainda que a UE também é parceiro do governo angolano no sector das águas e saneamento, onde em conjunto com parceiros investem em projectos de reabilitação e construção de sistemas de abastecimento de água, bem como no reforço institucional do sector, visando contribuir para a garantia de um acesso equitativo, eficiente e sustentável aos recursos hídricos em Angola.

O responsável esclareceu que em Angola, ao longo dos últimos sete anos, a UE e  parceiros apoiaram com um valor de 132 milhões de Euros, que contribuiu positivamente para o alcance de melhorias significativas na vida das crianças angolanas. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA