Produção do Porto de Luanda pode ficar abaixo do previsto

Porto de Luanda (Foto: D.R.)
Porto de Luanda (Foto: D.R.)
Porto de Luanda
(Foto: D.R.)

No primeiro trimestre do ano, a descarga de contentores recuou cerca de 14% face ao mesmo período de 2014. Novo código de ética aumenta profissionalismo.

A produção do Porto de Luanda poderá este ano ficar abaixo da de 2014, fruto da crise causada pela queda do preço do petróleo, admitiu o presidente da comissão executiva do Porto de Luanda.

Nos primeiros três meses do ano, por exemplo, revelou Manuel Zangui, numa conferência, esta semana, no âmbito dos 70 anos do porto, registou-se uma queda de 14% na descarga de contentores face ao homólogo. “Fruto da crise que a economia mundial regista, de que Angola não está isenta, as perspectivas para 2015, em termos de produção, poderão não atingir a cifra de 2014”, disse, ainda que, acrescentou, o movimento do segundo trimestre traga alguns sinais de optimismo.

“A empresa portuária começou já a registar, no princípio do segundo trimestre, uma subida no número de navios, facto que poderá colocar o porto, no final de 2015, numa cifra próxima da de 2014”, afirmou. Quanto ao movimento de navios de longo curso, nos primeiros três meses do ano, revelou, a empresa teve um movimento de 242 navios de longo curso – menos 11% face ao homólogo – e 68.000 de cabotagem.

De acordo com o responsável, em 2014 o Porto de Luanda movimentou cerca de 13.060.494 milhões de toneladas de mercadorias diversas, um crescimento de 15,9% face às 11.256.574 milhões toneladas de 2013. “O movimento de cargas não contentorizadas, nos diferentes terminais, foi de 3.823,207 milhões de toneladas, um crescimento de 34%, enquanto as cargas contentorizadas registaram um ligeiro crescimento de cerca de 10% em relação ao período correspondente”, salientou.

Segundo o gestor, no ano passado, foram desembarcados no Porto 529.528 contentores e embarcados 525.775. “Paralelamente, em 2014, o Porto de Luanda ainda operou 8.154, dos quais 1.135 foram navios de longo curso e 7.019 de cabotagem”, disse.

Lançado novo código de ética Entretanto, a empresa lançou lançou um novo código de ética, onde estabelece procedimentos e regras relativas à recepção e análise de tratamento das informações sobre infracções.

O regulamento aplica-se a todos os colaboradores da Empresa Portuária de Luanda, membros dos órgãos sociais, chefias, funcionários, trabalhadores, estagiários e prestadores de serviço em geral. Manuel Zangui disse que o código vai operar “no conjunto de ética e profissionalismo, e vai ajudar a gestão do Porto de Luanda para que os resultados a curto e médio prazo sejam satisfatórios”.

“Os nossos funcionários estão preparados para novos desafios, e o conselho de administração vai efectuar um conjunto de sessões de transmissão de conhecimento e actividades para maior divulgação do código de ética”, para que a sua receptividade “seja positiva”, garantiu. (expansao.ao)

Por: Sita Sebastião

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA