Porto de Luanda desenvolve projectos de electricidade e abastecimento de água

Porto de Luanda (Foto: D .R.)
Porto de Luanda (Foto: D .R.)
Porto de Luanda
(Foto: D .R.)

Um projecto de reabilitação da rede eléctrica de média tensão, estimado em 500 milhões de Kwanzas (Akz), e outro orientado para a rede de abastecimento de água, no valor de Akz 250 milhões, vão ser implementados, ainda este ano, pelo Porto de Luanda, no âmbito da sua política de modernização.

Em declarações hoje, segunda-feira, à Angop, em Luanda, o administrador para a área comercial da empresa, Manuel Francisco Zangui, disse que o projecto da rede eléctrica de média tensão será desenvolvido com financiamento externo, enquanto o de abastecimento da água vai ter um suporte financeiro interno.

A par destes, disse, a empresa portuária tem também planos nos domínios dos acessos marítimos e terrestres e em colaboração com o Ministério da Construção vai implementar programas que visam a melhoria das vias que ligam o porto a outras partes da cidade para facilitar o escoamento das mercadorias para os terminais.

Quanto aos acessos marítimos, o gestor sublinhou que, em coordenação com os operadores privados, a empresa portuária vai efectuar a limpeza dos fundos (cais), para subtrair os resíduos derivados da actividade diária que caem sobre a água de modo a permitir que se tenha uma maior profundidade e se receba navios de grande porte.

O administrador para a área comercial do porto de Luanda informou também que os terminais do porto passaram a gestão dos operadores privados em 2005, uma medida que levou a um aumento de produção e da produtividade.

Como contrapartida a essa gestão, os operadores retribuem com um pagamento mensal fixado entre uma renda fixa e variável. A renda fixa é paga de acordo com o espaço ocupado, enquanto a variável é remunerada segundo a produção (o operador paga uma determinada percentagem de acordo com o valor arrecadado).

Questionado sobre o surgimento do novo porto no município do Dande, província do Bengo, Manuel Zangui afirmou que o mesmo não representa qualquer concorrência para Luanda, mas apresenta-se como uma mais-valia, já que vai potenciar o Porto de Luanda, assim como aumentar a capacidade de recepção de cargas que chegam ao país.

Acrescentou que o porto do Dande vai desanuviar o Porto de Luanda, que, neste momento, já atingiu o seu pico, uma vez que já não tem espaço para crescer, apesar da actividade ser constante.

No fundo vai ser a transição do Porto de Luanda para aquela localidade, frisou Manuel Zangui.

O Porto de Luanda tem um canal de aproximação de cerca de 25 a 30 metros e uma profundidade ao longo do cais que varia entre 9,5 e 12 metros.

Com setenta anos de existência, este gigante da economia de Angola pretende continuar a dar o seu melhor para que as mercadorias cheguem ao destinatário final a um preço baixo, um objectivo que só se alcança com o aumento da produção, investindo no homem e em equipamentos modernos. (Angop/Expansão)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA