PGR confirma detenção de 15 cidadãos

Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa (Foto: Angop)
Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa (Foto: Angop)
Procurador-Geral da República, João Maria de Sousa (Foto: Angop)

O procurador-geral da República, João Maria de Sousa, confirmou nesta quarta-feira, em Luanda, a detenção de 15 cidadãos acusados de atentarem contra a ordem e a segurança pública.

Em declarações à Rádio Nacional de Angola (RNA), João Maria de Sousa explicou que no dia 20 do mês corrente foram detidos 13 jovens, na sequência do cumprimento de um mandato de revistas, busca e apreensões que o Serviço de Investigação Criminal (SIC) realizava no bairro da Vila Alice, distrito urbano do Rangel.

Adiantou que no dia 21 foi detido um outro elemento, quando pretendia passar a fronteira da Santa Clara para a Namíbia e, na terça-feira, as autoridades policiais detiveram mais um jovem oficial da Força Aérea Nacional que também estava envolvido no grupo de elementos detidos no primeiro dia.

De acordo com o procurador-geral da República, tudo começou com uma denúncia junto da Polícia Nacional que deu origem a que o SIC se pusesse em campo para constatar a veracidade dos factos que eram denunciados.

Em Função disto, disse, “o Ministério Público deu luz verde para que fossem realizadas determinadas diligências e assim se confirmou que os jovens reunidos estavam a praticar actos preparatórios que poderiam levar a destituição do Governo legitimamente constituído, a partir das eleições de 2012”.

Declarou que os jovens estavam a preparar-se para uma acção de insurreição e desobediência colectiva que visava a deposição do Governo e a destituição do Presidente da República.

“Por isso esses actos constituem crimes contra a segurança do Estado, mas propriamente o crime de rebelião. Com Efeito, os órgãos competentes do Estado têm que tomar as medidas necessárias para evitar o pior”, explicou.

João Maria de Sousa fez saber ainda que as 13 detenções ocorreram em flagrante delito e não na residência de cada um desses elementos, adiantando que foram observados todos os preceitos legais para a detenção destes jovens.

O processo estará concluído depois da prossecução dos actos instrutórios e da investigação tendentes a reunir o maior número possível de elementos de prova. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA