Otan deve responder a ‘actos agressivos’ da Rússia na Europa, diz secretário-geral

(Foto de THIERRY CHARLIER/AFP)
(Foto de THIERRY CHARLIER/AFP)
(Foto de THIERRY CHARLIER/AFP)

A Otan não será arrastada a uma corrida ao armamento com a Rússia, mas deve responder aos actos agressivos de Moscovo na Europa, declarou nesta quarta-feira o secretário-geral da Aliança, Jens Stoltenberg.

“Não nos arrastarão a uma corrida ao armamento, mas devemos garantir a segurança de nossos países”, acrescentou Stoltenberg antes de uma reunião de ministros da Defesa da Otan em Bruxelas.

“Anexar uma parte de um território não é defensivo, é um acto de agressão”, disse em relação à Crimeia. “A Rússia continua enviando tropas, equipamentos para desestabilizar o leste da Ucrânia. Não há nenhuma dúvida de que a Rússia é responsável por actos agressivos na Europa”, afirmou.

“A Otan deve responder quando o ambiente de segurança muda”, disse, lembrando que a situação mudou na fronteira leste da Aliança, mas também no sul com a emergência do grupo Estado Islâmico.

A Otan decidiu em Setembro de 2014 um reforço militar sem precedentes desde o fim da Guerra Fria. Criou uma força expedicionária de rápida mobilização e duplicou o contingente de sua força de intervenção rápida.

Na terça-feira, os Estados Unidos também anunciaram a mobilização temporária de armamento pesado nos países vizinhos da Rússia, mas não mobilizarão tropas.

Na semana passada o presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que a Rússia reforçará o arsenal nuclear com 40 mísseis balísticos intercontinentais. (yahoo.com)

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA