MPLA em Luanda tranquiliza sociedade sobre rumores de alienação do país

Norberto Garcia - Secretário de Informação de Luanda do MPLA (Foto: Lino Guimarães)

O secretário para a Informação do Comité Provincial de Luanda do MPLA, Norberto Garcia, desmentiu nesta quarta-feira, os rumores sobre uma propalada alienação do país à China, como resultado da visita que o Presidente da República, José Eduardo dos Santos, efectuou recentemente àquele estado asiático.

Norberto Garcia - Secretário de Informação de Luanda do MPLA (Foto: Lino Guimarães)
Norberto Garcia – Secretário de Informação de Luanda do MPLA (Foto: Lino Guimarães)

“Nos últimos dias têm se levantado algumas vozes dizendo que a visita do Chefe de Estado à China teve como propósito a alienação do país e da pátria, nomeadamente das províncias de Malanje e do Cuando Cubando, o que não corresponde à verdade”, desmentiu o responsável, em conferência de imprensa.

Lembrou que a Constituição da República de Angola não permite que o país seja alienado, nem os espaços onde as empresas estrangeiras exploram o petróleo, sublinhando que a diversificação da económica pressupõe o desenvolvimento da agricultura, da indústria e de outras áreas, que podem ser desenvolvidas por cidadãos nacionais e estrangeiros.

Elucidou que a cooperação estratégica, quer em sede do Direito Internacional Público, quer das Relações Internacionais, é feita na base de reciprocidade de vantagens em que as partes verificam o melhor para os seus interesses, respeitando a soberania de cada Estado.

“Sempre que um país vive uma situação preocupante, como a crise económica internacional, os líderes dos países têm que se preocupar em procurar soluções para os problemas, e é o que o Titular do Poder Executivo tem feito”, frisou.

Reconheceu que houve um hiato, tanto do ponto de vista da tradução da língua, como da disseminação da informação e da operacionalização das gravações daquilo que foi divulgado a partir da China, o que resultou na compreensão e interpretação errónea da informação.

“Penso que tão logo o Presidente José Eduardo dos Santos regressou ao país, devia-se fazer um esclarecimento mais substancial, porque as informações veiculadas pela imprensa não foram suficientes para satisfação da curiosidade do povo”, defendeu.

Neste sentido, Norberto Garcia defendeu a necessidade de se melhorar os mecanismos de comunicação para que as pessoas sejam melhor esclarecidas atempadamente e evitar-se especulações.

Indicou que o MPLA em Luanda tem a responsabilidade política e social de esclarecer as informações que têm sido disseminadas de forma errónea, reiterando a sua determinação de continuar a defender o povo, proporcionando que os agentes administrativos e responsáveis na governação façam-no sempre de forma mais séria e responsável. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA