Ler Agora:
Morais Sarmento: Não ser candidato à Presidência seria “um trauma” para Marcelo
Artigo completo 2 minutos de leitura

Morais Sarmento: Não ser candidato à Presidência seria “um trauma” para Marcelo

(DR)

(DR)

O ex-ministro de Durão Barroso diz que Portugal se foca demasiado num problema de software – os partido – quando devia resolver o problema de hardware – a Constituição.

Nuno Morais Sarmento diz que “Paulo Portas viverá para a vida com o remorso de não ter sido líder do PSD […] viverá com esse trauma […] um trauma parecido com o que Marcelo Rebelo de Sousa viverá se não se candidatar à Presidência da República”.

Para o ex-ministro de Durão Barroso, a coligação PSD/CDS “não é uma coligação de felicidade. Se não continuar, como é que é? Aquilo já não dá muito mais. O pano, qualquer dia, de tanta lavagem rasga”.

Em entrevista ao jornal i, pesar de se afirmar do PSD de direita, Morais Sarmento diz que tem de ser “lúcido” e “ver para lá do nosso umbigo” – “António Costa é talvez o socialista português com melhores condições de abrir à esquerda. Basta ver Lisboa”.

Para o futuro do país ser próspero há vários problemas a resolver, defende, e nem sempre a sociedade está focada nas questões certas: Há “um problema de hardware, da Constituição, do modelo eleitoral, não é do software, que são os partidos”, defendeu.

“Tudo mudou, mas nós achamos que o nosso sistema político não precisa de mudar […] Gastamos as energias do país a discutir se é melhor o Windows 98 ou o XP quando, na realidade, é relativamente indiferente, porque estamos a fazê-las correr num computador de 89, vai dar sempre bug”, disse, referindo-se à Constituição de 1989, ano em que se fez uma revisão relativamente ao modelo do sistema político. (noticiasaominuto.com)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »