MAX ALIER: FMI tem novo representante em Luanda

Max Alier, novo representante do FMI em Angola. (Foto: D.R.)
Max Alier, novo representante do FMI em Angola. (Foto: D.R.)
Max Alier, novo representante do FMI em Angola.
(Foto: D.R.)

O Fundo Monetário Internacional (FMI) tem novo representante em Angola: o costa-riquenho Max Alier, que em Maio último substituiu no cargo o maltês Nicholas Staines. Angola esteve sob a alçada do FMI durante 28 meses iniciados no dia 29 de Novembro de 2009, no âmbito de um empréstimo de ajuda à balança de pagamentos no valor de 1,4 mil milhões USD a que se seguiu uma segunda fase chamada de monitorização pós-programa.

Actualmente, as relações entre Luanda e Washington resumem-se às consultas no âmbito do artigo IV e à assistência técnica. O último trabalho e mais mediático teve que ver com a eliminação dos subsídios aos combustíveis. Com mais de 17 anos de carreira na instituição financeira internacional sediada em Washington, Alier tem experiência acumulada no aconselhamento económico e liderança de equipas de economistas do FMI.

Angola é o segundo país de língua portuguesa onde serve como representante do Fundo depois do Brasil, onde permaneceu entre 2004 e 2006. Regressou a Washington, onde foi chefe de missão para Trindade e Tobago (2006-2008) e, entre 2009 e 2013, rumou à Ucrânia, onde foi representante do FMI.

Antes de vir para Angola, voltou a ser chefe de missão para República da Moldávia, entre 2013 e 2015. Trabalhou com outras economias emergentes, como Argentina, Equador, Indonésia, Chile e Peru. Licenciado e mestre pela Universidade Católica do Chile, Alier é doutorado pela Universidade da Califórnia – Los Angeles, onde também leccionou. No Chile, deu aulas nas universidades Andres Bello e Talca. (expansao.ao)

Por: Carlos Rosado de Carvalho

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA