Mais de 3.700 imigrantes são resgatados no Mediterrâneo, diz Guarda Costeira italiana

(REUTERS)
(REUTERS)
(REUTERS)

Navios que patrulhavam o mar Mediterrâneo resgataram mais de 3.700 imigrantes de barcos lotados e sem segurança nos últimos dois dias, informou a Guarda Costeira italiana nesta terça-feira.

Barcos de diversos países, incluindo os participantes da missão da União Europeia baptizada de “Triton”, foram ao resgate de 18 embarcações diferentes carregando 2.741 imigrantes na segunda-feira, disse uma porta-voz da Guarda Costeira.

Cerca de outros 1.000 imigrantes foram salvos em seis operações de resgate nesta terça-feira, segundo a Guarda Costeira. Eles viajavam num barco pesqueiro e em cinco botes de borracha.

Separadamente, quase 300 outros imigrantes resgatados há dois dias chegaram ao porto siciliano de Pozzallo nesta terça-feira a bordo de um navio do Médicos Sem Fronteiras. Autoridades também levaram para terra um cadáver num caixão de metal.

A vítima foi morta a tiros por homens que viajavam em outro barco, próximo à costa da Líbia, de acordo com o testemunho de imigrantes, relatou a media italiana. Um tribunal siciliano está investigar a morte.

A Itália está tentar convencer a União Europeia a ajudar a cooperar com a onda de imigrantes que chegam em embarcações lotadas do norte africano, com estimativas oficiais indicando um total de 60 mil pessoas até agora neste ano. Quase 2.000 morreram tentando fazer a travessia, de acordo com a agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU). (reuters.com)

por Steve Scherer

 

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA