Lucros do Banco Keve sobem 32,6% em 2014, mas auditores alertam para risco nos créditos

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

Resultado líquido foi de cerca de 1,7 mil milhões Kz. Banco diz ter feito processo negocial para reforçar garantias junto de clientes com dívidas a haver do Estado.

Os lucros do Banco Keve subiram 32,6% em 2014, para cerca de 1,7 mil milhões Kz, de acordo com a demonstração de resultados da instituição publicados esta semana no Jornal de Angola.

No final do ano passado, indica o balanço do banco liderado por Maria João de Almeida, a carteira de crédito concedida pelo banco ascendia a cerca de 46,8 mil milhões Kz, mais 19,6% face ao ano anterior. No entanto, as provisões para crédito de liquidação duvidosa baixaram, de cerca de 1,6 mil milhões Kz, para pouco mais de 1,2 mil milhões Kz, apesar de, ao longo do exercício, terem sido reforçadas, como assinalaram os auditores da Crowe Horwath.

No relatório de auditoria, também publicado no Jornal de Angola, os auditores dizem que, ao abrigo do Aviso n.º 3/2012 do Banco Nacional de Angola – que classifica o risco de crédito por categorias e determina que garantias devem ser prestadas em função deste risco -,o Banco Keve reforçou as suas provisões para créditos de liquidação duvidosa em 2.012.556 milhões Kz.

Mas assinalam que “da análise […] efectuada à carteira de crédito concedido pelo Banco em 31 de Dezembro de 2014, identificamos créditos concedidos que se encontram classificados num nível de risco inferior ao preconizado no Aviso acima referido, resultando resultando daí uma insuficiência de provisão”.

Os auditores sublinham, contudo, que, à data da emissão do relatório [30 de Março de 2015], “o Banco tinha em curso um significativo processo de negociação, formalização de novas garantias e outros acordos, que envolvem entidades fornecedoras de bens e serviços ao Estado, que atenuará a insuficiência de provisão”.

Os auditores concluem não lhes ter “sido possível apurar o impacto da mesma [provisão] nos fundos próprios do banco”.

A carteira de depósitos também conheceu um forte aumento no ano passado. No final do ano, ascendia a cerca de 99 mil milhões Kz, mais 19,2% do que no final de 2013, com os depósitos a prazo a avançarem 34,1%, para perto de 22,9 mil milhões Kz, e os à ordem a aumentarem 15,%, para cerca de 76,2 mil milhões Kz. (expansao.ao)

Por: Ricardo David Lopes

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA