Laboratório de engenharia com competências para qualidade das obras

qualidade das obras com selo do Laboratório de Engenharia de Angola (Foto: Esmael da Purificação)
Qualidade das obras com selo do Laboratório de Engenharia de Angola (Foto: Esmael da Purificação)
Qualidade das obras com selo do Laboratório de Engenharia de Angola (Foto: Esmael da Purificação)

O ministro da Construção, Waldemar Pires Alexandre, afirmou hoje, sexta-feira, em Luanda, ser importante recuperar o papel interventivo do Laboratório de Engenharia de Angola (LEA) para garantia da qualidade das obras no país.

A declaração do ministro Waldemar Pires, que intervinha na abertura do primeiro Conselho Consultivo do ano da instituição, resultou de “inúmeras observações quanto à qualidade de muitas obras” no país

“Têm sido inúmeras as observações feitas quanto à qualidade de muitas obras sob pretexto de eventualmente, na sua execução, não se terem sido observadas as normas e os padrões técnicos estabelecidos” – recordou o ministro.

Diante desta realidade, o titular da pasta da construção argumentou que o Laboratório de Engenharia reúne as competências e conhecimentos exigíveis para assegurar a qualidade necessária e requerida às diferentes infraestruturas e outros equipamentos erguidos e construídos em Angola.

Noutra parte da sua intervenção, reafirmou que a prioridade de projectos do sector incide naqueles que, nesta altura, têm recursos financeiros assegurados, cujo horizonte temporal de conclusão afigura-se muito próximo entre 2016/2017.

De acordo com o governante, há também os projectos constantes no Plano Nacional de Desenvolvimento.

“Dentro de um raciocínio lógico de priorização de obras deverá ser basicamente esta forma que adotaremos para que possamos então concluir parte dos projectos que constam da nossa carteira” – sublinhou o dignitário, adiantando que desta forma procurarão articular, com outros sectores, para que o sucesso da actividade seja uma realidade.

Fez saber que no rol das competências e atribuições do Ministério da Construção, as infraestruturas rodoviárias representam um segmento prioritário,
secundadas pelos equipamentos sociais, as infraestruturas integradas, os edifícios públicos, monumentos, bem como outro tipo de actividades relacionadas ao sector das obras públicas.

“A nossa actividade é bastante abrangente, mas no entanto, continuaremos a priorizar as obras de recuperação das vias rodoviárias, porque o nosso desenvolvimento assenta fundamentalmente na reabilitação de estradas que irão promover maior circulação pelo país” – enfatizou o ministro.

Considerou que, apesar das dificuldades, o sector continuará a envidar esforços no sentido de ultrapassar tal situação e encaminhar as acções na observância daquilo que são as recomendações e medidas de política do Executivo. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA