Juventude chamada a seguir legado histórico dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria

MINISTRO DOS ANTIGOS COMBATENTES E VETERANOS DA PÁTRIA, CÂNDIDO PEREIRA VAN-DÚNEM (Foto: Lucas Neto)

A juventude angolana tem a missão de dar continuidade ao esforço de levar este país para os anais do progresso e do desenvolvimento, de forma a seguir o legado histórico dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria defendeu, em Luanda, o ministro dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem.

MINISTRO DOS ANTIGOS COMBATENTES E VETERANOS DA PÁTRIA, CÂNDIDO PEREIRA VAN-DÚNEM (Foto: Lucas Neto)
MINISTRO DOS ANTIGOS COMBATENTES E VETERANOS DA PÁTRIA, CÂNDIDO PEREIRA VAN-DÚNEM (Foto: Lucas Neto)

Em recente entrevista exclusiva à Angop, a propósito da “Valorização e Integração dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria em Angola ao longo dos 40 anos de independência”, o governante sublinhou que a celebração dos 40 anos de independência nacional resulta da abnegação do povo angolano, cujos esforços foram desenvolvidos por duas gerações.

“Relativamente aquilo que é uma perspectiva de legado histórico, a juventude hoje traz na sua estrutura mental uma nova visão da história angolana. Nestes 40 anos, que são de abnegação do povo angolano, concorreram a intervenção de duas gerações, sendo as gerações que nos antecederam e a nossa geração”, disse, tendo acrescentando que a visão perspectiva destas duas gerações foi a da luta pela independência nacional e trazer o país para os anais da historia enquanto povo independente.

Frisou que não se pode fazer a passagem de testemunho sem uma relação com a história, “por isso é que o papel da juventude poderá ser cumprido cabalmente se estes beberem do acervo histórico destas duas gerações, daí a razão de ter uma interacção entre estas duas gerações”.

Em seu entender, é assim que a juventude perceba que o seu papel só poderá ser cumprido cabalmente se estes beberem do acervo histórico que “nós lhes possamos passar, consideramos que é importante que haja uma interacção entre estas duas gerações”.

Por outro lado, Cândido Pereira dos Santos Van-Dúnem avança que o departamento ministerial, com base naquilo que são as políticas do Estado tem desenvolvido várias acções para transmitir este acervo aos jovens, no sentido de que eles possam de facto ser uma continuidade, “não só numa perspectiva tecnológica, mas também numa perspectiva do seguimento da história”.

O Ministério dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria (MACVP) é o Departamento Ministerial auxiliar do titular do Poder Executivo, encarregue de propor a formulação, conduzir, executar e velar pela implementação da política do Executivo no domínio dos antigos combatentes e veteranos da pátria. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA