Justiça: Marinho Pinto acusou Almeida Santos sem razão

(D.R)

O eurodeputado acusou Almeida Santos, contudo o histórico socialista não gostou e veio a provar-se que tinha razão.

(D.R)
(D.R)

Marinho Pinto, numa entrevista ao jornal Público, acusou Almeida Santos de ser uma das pessoas a utilizar a sua condição de político e de advogado para fazer negócios, no sentido de ilustrar o “conflito de interesses” que existe para os deputados que exercem advocacia.

O eurodeputado citou a “lei da amnistia de 1999” mas Almeida Santos não gostou da afirmação e resolveu defender-se, num primeiro momento em delarações ao jornal que tinha publicado a entrevista e depois à Presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves, com um pedido de esclarecimento do seu papel em relação à lei sobre a qual Marinho Pinto falou.

Depois de analisar a lei aprovada em Assembleia da República, o jornal Público indica que, ao contrário do que Marinho Pinto indicou, há um crime que deixa de ser amnistiado na versão final da lei, não beneficiando os advogados em causa.

Marinho Pinto foi confrontado com a situação e esclareceu que não pretendia acusar Almeida Santos, afirmando que “não sabia” que aquela alteração não era extensível aos advogados. O eurodeputado alegou ainda que a acusação não era dirigida a Almeida Santos “porque ele não é um advogado criminal”. (noticiasaominuto)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA