Jovens aconselhados a valorizar Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria

Diogo Ventura - Secretário Geral da Associação do Processo 50 (Foto: Pedro Parente)
Diogo Ventura - Secretário Geral da Associação do Processo 50 (Foto: Pedro Parente)
Diogo Ventura – Secretário Geral da Associação do Processo 50 (Foto: Pedro Parente)

Os antigos combatentes e veterenos da pátria que participaram na luta de libertação e na defesa da pátria transmitiram as novas gerações os seus valores de cidadania, sempre na convicção de que os seus sucessores, que são os jovens, devem seguir essas qualidades, destacou segunda-feira, em Luanda, o secretário-geral da Associação do Processo dos 50, José Diogo Ventura.

Em declarações à Angop, a propósito da “Valorização e Integração dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria em Angola ao longo dos 40 anos de independência”, o também nacionalista sublinhou que a juventude deve valorizar os seus actos, destacando o facto de terem abandonado as suas famílias, escolas e serviços para darem a sua contribuição na histórica conquista pela independência.

“A juventude deve ter sempre em consideração este passado histórico da nossa terra, do qual temos uma cidadania e somos conhecidos no mundo. O que acontece é que alguns jovens, não são todos, não valorizam este passado, pensam que não é preciso sacrifício para se atingir um objectivo”, disse.

É preciso que os jovens, acresceu, estudem, trabalhem e considerem o trabalho que os mais velhos fizeram, porque eles são jovens de hoje e serão mais velhos amanhã.

Em seu entender, a juventude deve interessar-se pelo que os antigos combatentes e as pessoas que lutaram pela independência fizeram para o bem-estar do país.

“Esta pátria é nossa e os jovens devem defender para que as gerações seguintes, que são os seus filhos e netos, também possam ser homens que valorizem a pátria onde vivem”, frisou. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA