Jovem cabo-verdiano morre nas fileiras do Estado Islâmico na Síria

Um jovem cabo-verdiano, de 27 anos, morreu sexta-feira, 05 de junho, na Síria, durante um combate nas fileiras do Estado Islâmico (EI), noticiou segunda-feira a imprensa do arquipélago.

(D.R)
(D.R)

A edição online do jornal “A Semena” revela que o indivíduo, identificado como Luís Carlos “Piratinha” Brito Almeida, vivia em Nice (França), e mudou-se para a Síria há pelo menos nove meses, depois de se ter casado com uma tunisina.

O jovem ter-se-ia convertido ao Islão por influência da família da esposa tunisina e teria sido convencido pelo cunhado Oussama, em setembro de 2014, a mudar-se com a família para aquele país do Médio Oriente para integrar as fileiras do Estado Islâmico (EI), acabando por ser morto em combate.

A fonte recorda que  este não é o primeiro caso de um  cidadão de origem cabo-verdiana morto em combate na Síria como jihadista.

Em novembro do ano passado, outro indivíduo, identificado como Sandro “Funa”, de 36 anos, que também foi aliciado pelo Estado Islâmico, morreu num bombardeamento aéreo naquele país.

Nascido em Portugal no seio de uma família cabo-verdiana, Sandro rumou dos arredores de Lisboa, na linha de Sintra, para Londres (Inglaterra), onde se converteu ao Islão.

O seu processo de radicalização ocorreu numa das mesquitas da capital inglesa, levando-o a filiar-se no Estado Islâmico, antes de viajar para à Síria para combater, tendo sido morto nove meses depois. (panapress.com)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA