José Eduardo dos Santos termina visita de Estado à China

Presidente José Eduardo dos Santos termina visita de Estado à China (Foto: Francisco Miudo)
Presidente José Eduardo dos Santos termina visita de Estado à China (Foto: Francisco Miudo)
Presidente José Eduardo dos Santos termina visita de Estado à China (Foto: Francisco Miudo)

O Presidente da República de Angola, José Eduardo Dos Santos, deixou Beijing às 11h20 de hoje (4h20 de Angola), no final da visita de 5 dias, efectuada à Republica Popular da China, a convite do seu homólogo Xi Jiping.

Um comunicado de imprensa refere que a visita enquadrou-se no âmbito do reforço dos laços de amizade, de solidariedade e de consolidação da cooperação estratégica existente entre os povos e os governos da República de Angola e da República Popular da China.

Lê-se no documento que os dois estadistas registaram, com satisfação, que, desde o estabelecimento de relações diplomáticas, a cooperação bilateral tem registado uma evolução positiva, como se pode constatar pela sua substancial contribuição para o sucesso do Programa de Reconstrução Nacional da República de Angola.

De acordo com a comunicação, com vista a apoiar os esforços do Governo Angolano em prol da diversificação e Desenvolvimento sustentável da sua economia as partes assinaram os seguintes acordos:

1 – A acta da primeira sessão da comissão orientadora para a cooperação económica, técnica e comercial entre os dois países e o respectivo Memorando de funcionamento;
2 – Acordo de cooperação Económica e Técnica;
3 -Acordo no domínio da Aviação Civil;
4 – Acordos no domínio financeiro.

As partes concordaram em encorajar as empresas a alargar a cooperação às áreas da indústria, agricultura, pescas, transporte, energia, telecomunicações e cooperação pragmática, de vantagem recíprocas, susceptível de contribuir para a diversificação económica de Angola e para um maior crescimento da China, potencializando os mecanismos já existentes e buscando outras soluções inovadoras, ressalta o comunicado.

Acrescenta que neste contexto, as partes concordaram em apoiar as visitas recíprocas dos grupos empresariais dos dois países, promover o estabelecimento de parcerias e encorajar as respectivas associações e câmaras de comércio e empresas a participar nas exposições e feiras comerciais, a ter lugar em cada um dos países, fazendo o uso dos diversos meios e mecanismos para aumentar o volume do comércio.

Com o objectivo de permitir um maior fluxo nas trocas comercias e a consequente facilitação do intercâmbio entre os agentes económicos, as instituições académicas e, de um modo, geral entre as sociedades civis dos dois países, os dois estadistas acordaram que devem prosseguir os trabalhos no sentido de chegar a um acordo de facilitação de vistos entre os despectivos Países;

As duas partes concordaram em aprofundar os contactos e a cooperação em assuntos Internacionais e regionais no quadro da Organização da Nações Unidas e de outras organizações multilaterais, e em prol da promoção de uma ordem politica e económica cada vez mais justa e equilibrada em benefício dos respectivos povos e nações;

Lê-se no documento que Sua Excelência o Presidente Xi Jinping felicitou o seu homólogo angolano pelo seu papel, cada vez mais activo, na busca de soluções que concorram para a estabilidade do continente africano, bem como pela eleição da República de Angola a Membro Não Permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidades para o biénio 2015-2016;

Sua Excelência o Presidente José Eduardo dos Santos felicitou o seu Homólogo Chinês, pela sua liderança e clarividência manifestadas no Processo de Desenvolvimento Politico, económico, social e cultural da República Popular da China.

A parte chinesa manifestou igualmente a sua disponibilidade de ajudar Angola a estabelecer um centro piloto de Tecnologia Agrícola, dando prioridade aos projectos de planificação Agrícola, cooperação técnica Agroindústria e armazenamento. Para o efeito, e no quadro do programa de ajuda ao Desenvolvimento, as partes assinaram um acordo de cooperação económica e técnica, prevendo-se a construção de um centro de formação técnica e profissional para a formação de quadros necessários ao processo de Desenvolvimento;

A comunicação sublinha que, no quadro do reforço da cooperação e intercâmbio, a República de Angola considerou que a República Popular da China pode ser também um parceiro estratégico no domínio da Ciência, da Tecnologia e de Inovação, designadamente, no desenvolvimento de projectos de investigação, no apoio a Centros de Pesquisa e na criação de Infra-estruturas de investigação de ponta.

lê-se, por fim, que as partes manifestaram também o seu interesse em continuar a trabalhar para o estabelecimento do Instituto Confúcio em Angola. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA