José Eduardo dos Santos sublinha reciprocidade de vantagens nas relações com China

PRESIDENTE JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS - VISITA CHINA (Foto: Francisco Miúdo)

Beijing – O Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, declarou nesta quarta-feira, em Beijing, que o nível diferente de desenvolvimento e a complementaridade das economias de Angola e da China facilita o entendimento sobre a forma de cada um dos países beneficiar do que o outro tem para oferecer.

PRESIDENTE JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS - VISITA CHINA (Foto: Francisco Miúdo)
PRESIDENTE JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS – VISITA CHINA (Foto: Francisco Miúdo)

José Eduardo dos Santos fez esta declaração no encontro que manteve com o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, no âmbito da visita oficial que efectua a China desde segunda-feira, para o reforço dos laços de amizade e cooperação.

Disse que Angola dispõe de um potencial económico que interessa a China explorar e necessita do apoio deste país em tecnologia, equipamento, gestão e formação de recursos humanos.

Informou que depois da conquista da paz em 2002 e falhada uma prometida conferência de doadores a favor da reconstrução de Angola, a parceria com a China permitiu proceder a recuperação de infra-estruturas básicas como estradas e pontes, reabrindo as vias para a circulação de pessoas e bens e para a reactivação das trocas comerciais.

O estadista angolano precisou que nesta fase não foi possível superar a dependência do petróleo, que serviu de moeda de troca para o financiamento da reconstrução e para se irem criando as condições para a diversificação da economia, que só agora começo a ser materializada.

“Para se conseguir um desenvolvimento sustentando, importa continuar a fazer a reabilitação, modernização e desenvolvimento de todas as infra-estruturas económicas e sociais, promover e realizar investimentos públicos e privados e qualificar os recursos humanos nacionais”, expressou.

“É com grande esperança que realizo esta visita de Estado, pois acredito que ela vai servir para elevar a nossa cooperação a patamares mais altos, permitindo-nos cumprir as metas previstas no nosso Plano Nacional de Desenvolvimento 2013/2017”, sublinhou.

O mais alto mandatário da Nação angolana disse estar certo de que a República Popular da China também irá colher os benefícios que o desenvolvimento do país e almejado pelo povo chinês exige.

Acompanham o Chefe de Estado nesta sua quarta visita oficial de à China, para além da primeira-dama, Ana Paula dos Santos, o ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República, Edeltrudes Costa, e os titulares das pastas das Relações Exteriores, Georges Chikoti.

Integram ainda a caravana presidencial, os ministros das Finanças, Armando Manuel, do Comércio, Rosa Pacavira, da Agricultura, Afonso Canga, dos Transportes, António Tomás, das Energia e Águas, João Baptista Borges, do Ensino Superior, Adão do Nascimento, e da Educação, Mpinda Simão. (portalangop.co.ao)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA